terça-feira, 29 de abril de 2014

Os olhos do blogue

AVISO 
Caros leitores: a partir de agora, sempre que acederem a este blogue O Homem Que Sabia Demasiado deparar-se-ão com o olhar acutilante - mas também sedutor e enigmático - de Margarita Terekhova no filme "O Espelho" (1975) de Andrei Tarkovski.

Serão os olhos do blogue.


4 instrumentistas especiais

Caro leitor: está cansado ao fim de um dia de trabalho? Ou, eventualmente, quer arranjar ânimo para iniciar uma nova jornada de labuta? Então perca 3 minutos e 25 segundos da sua preciosa vida e assista a este vídeo: é um quarteto alemão chamado Salut Salon: Angelika Bachmann (violino), Iris Siegfried (violino e voz), Anne-Monika von Twardowski (piano) e Sonja Lena Schmid (violonelo). 
Este quarteto é conhecido por ser um quarteto de câmara que seduz o público com apaixonante virtuosismo, charme feminino e muito sentido de humor. Vivaldi, Mozart e Kurt Weill fazem parte do reportório destas quatro belas, talentosas e bem humoradas instrumentistas. Só que a forma como interpretam as conhecidas peças musicais é que espanta tudo e todos:

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Cinema italiano a 5€

Sim, é a crise e tal. Sim, a cultura é sempre a primeira a ser sacrificada. Sim, nem sempre o consumidor de cultura tem dinheiro para comprar tudo o que quer. Mas precisamente por causa disso o mercado vai adaptando o preço dos seus produtos. É o caso dos DVDs, mercado que também tem sofrido - e muito - com a crise. 
Por exemplo, a Fnac está a promover um ciclo de cinema italiano com filmes pela módica quantia de 5€ cada. E há grandes clássicos que se podem adquirir por este preço muito simpático - como se pode constatar nesta imagem que eu próprio captei: "A Aventura", "A Doce Vida", "A Estrada" e "Oito e Meio"
Ou seja, Antonioni e Fellini a meros 5€. Oportunidade imperdível para quem ainda não possui estas obras  clássicas do cinema italiano em DVD.

domingo, 27 de abril de 2014

A mão no peito

Capa de duas revistas portuguesas de música: Loud!, dedicada ao metal; e BLITZ, versada para o universo pop/rock. As duas edições são deste mês de Abril e a coincidência visual das capas é interessante: os artistas em cada uma das capas não podiam ser, musicalmente falando, mais diferentes. Mas a pose une-os. A mão no peito é como se dissessem que amam apaixonadamente a sua música, a sua arte. E como sabemos, este tipo de encenação para a imprensa é fundamental para comunicar com o público.

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Keaton: 90 anos

90 anos.
Passam por estes dias 90 anos da estreia de uma das melhores obras do genial Buster Keaton: "Sherlock Jr.". 90 anos de uma filme que parece manter intactas as características da sua modernidade:

segunda-feira, 21 de abril de 2014

A força emocional da música dos DCD

De tempos a tempos, sinto necessidade de voltar a ouvir a música dos Dead Can Dance. Marcou-me profundamente a adolescência e continua a comover-me sempre que volto a ouvir os seus álbuns. Regressei a um dos meus discos preferidos da banda, "Within The Realm of a Dying Sun" (1987). 
Mas hoje deu-se uma coisa curiosa e que me provocou alguma comoção: apesar de ter o CD por uma questão de rapidez, fui ao Youtube procurar o álbum e, embora não tenha o hábito de ler os comentários, houve um que me chamou a particular atenção. É de uma mulher chamada Cynthia Ortiz que escreveu o seguinte:

"This song makes me think of my ex husband, when we first married, when we were so young and in love.... i miss those days, i miss him.... he introduced me to this amazing group of artists... pleasantly tortured by the beautiful thoughts of happiness and pain we shared together... i would give anything to turn back time just to be better than what we were before."

Enquanto ouvia a música dos Dead Can Dance e lia este comentário não deixei de me sentir, honestamente, algo comovido com este desabafo. Por um lado, porque me recorda os sentimentos que esta música me suscitava há muitos anos atrás; por outro lado, porque este testemunho prova a importância que a música tem nas relações entre as pessoas e as memórias que deixa gravadas para a posteridade.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Marcello e Cannes

Mais uma vez o cartaz oficial do festival de Cannes recupera o imaginário clássico. Em 2013 foi com Paul Newman, agora, com Marcello Mastroianni. E para o próximo ano sugiro para o cartaz: Sophia Loren, Jean-Paul Belmondo ou Kirk Douglas.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Um medley animado de Hitchcock

Eis um tributo engraçado ao mestre Alfred Hitchcock. 
O nome diz tudo: "Hitchcock Animated Medley", uma curta-metragem (menos de 2 minutos) de Tim Luecke com referências cruzadas a títulos emblemáticos da carreira de Hitch como "O Homem Que Sabia Demasiado", "39 Degraus", "Vertigo", "Janela Indiscreta" ou o inevitável "Psycho":

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Peter Hook e o livro sobre os Joy Division

Numa visita à Fnac deparei-me com este livro que Peter Hook escreveu sobre a sua banda, os míticos Joy Division. Trata-se de uma abordagem na primeira pessoa de alguém que conviveu de perto com a revolução musical que a banda de Manchester significou, revelando pormenores divertidos, surpreendentes e outros mais sórdidos, sobre a curta carreira artística dos Joy Division. 
São mais de 400 páginas escritas pelo ex-baixista da banda de Ian Curtis, numa edição negra belíssima em capa dura. O problema é o preço: tratando-se de um livro de importação, custa 31€. No entanto, recorrendo a livrarias internacionais online, consegue-se comprar esta mesma edição a metade do preço (!) e com portes grátis (!!), como nesta Book Depository.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Estórias e Misérias de Hollywood #4

"O cineasta alemão Werner Herzog é detentor de uma audácia conhecida: despreza o perigo e envolve os seus colaboradores em situações de risco extremo. Outras vezes, é ele próprio que está em perigo, mesmo sem o saber - e sobrevive: durante a promoção de 'Grizzly Man' (2005), sobre um homem que convive com ursos até ao dia em que é devorado por um deles, Herzog foi alvejado por um atirador enquanto dava uma entrevista para a BBC. Mais tarde, vangloriou-se: 'ser alvejado com pouco êxito é extremamente vivificante para um homem".

Edgar Pêra in "Hollywood: Estórias de Glamour e Miséria no Império do Cinema"


segunda-feira, 14 de abril de 2014

Tarantino e a música

Quentin Tarantino cedo revelou ser um mestre original na concepção artística dos seus filmes. E isso passou muito pela utilização da música nas suas obras. Recorrendo a um reportório maioritariamente pop-rock-funk-jazz dos anos 60 e 70, Tarantino construiu um universo audiovisual de grande versatilidade e inovação. 
 De resto, basta ver (e ouvir) os brilhantes trailers dos seus dois primeiros filmes para compreender a ousadia formal na forma improvável e surpreendente como o cineasta de culto utilizou a música nos créditos iniciais: "Reservoir Dogs" (1992) e "Pulp Fiction" (1994), com as canções, respectivamente, "Little Green Bag" de George Baker, e "Misirlou" de Dick Dale. Que mestria!

Nota: para conhecer outros 20 grandes momentos musicais nos filmes de Tarantino, abrir aqui.

sábado, 12 de abril de 2014

Cubehead

David Lynch imaginou o icónico filme "Eraserhead" e esta campanha publicitária inventou o "Cubehead".
"Os cérebros trabalham melhor quando estão hidratados." É este o mote para este desconcertante spot publicitário: a cabeça como um cubo Rubik.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

segunda-feira, 7 de abril de 2014

A diferença do dinheiro

Se fosse muito, muito rico:

- Comprava a colecção completa de edições Blu-Ray da Criterion.
- Marcava férias um mês em Mullholand Drive. 
- Viajava de propósito para Londres ou Paris só para comprar livros.
- Ia a Nova Iorque para andar de bicicleta no Central Park e visitar o Guggenheim.
- Criava um festival internacional de música só com artistas e músicos da minha preferência.
- Contratava um concerto particular do Tom Waits para a minha festa de aniversário.
- Marcava presença no festival de Cannes durante 15 dias no melhor hotel da cidade.
- Financiava como produtor os filmes de Béla Tarr.
- Reservava os melhores lugares para as melhores salas de espectáculo do mundo.
- Convidava todos os leitores regulares deste blogue para uma festa no melhor clube exclusivo de Barcelona, despesas pagas, com um programa recheado de bons filmes, concertos ao vivo e a presença - como mestres de cerimónia - de Ricky Gervais e Charlize Theron.

domingo, 6 de abril de 2014

A morte de Anja



É daquelas notícias que, infelizmente, passam ao lado dos meios de comunicação social: a laureada fotojornalista alemã, Anja Niedringhaus, de 48 anos, foi esta sexta-feira abatida a tiro por um comandante da polícia afegã. A fotojornalista da agência Associated Press estava a cobrir os preparativos para as eleições presidenciais deste sábado no Afeganistão. Galardoada com o prémio Pulitzer, em 2005, pela cobertura da guerra do Iraque, Niedringhaus nunca teve, nem quis ter, uma fotografia favorita: “Todos os dias é uma diferente”, costumava afirmar.
Anja procurava captar réstias de humanidade no meio da guerra e do sofrimento. Algumas das suas espantosas fotografias fazem já parte da história do fotojornalismo mundial dos últimos anos:



20 anos sem Kurt Cobain

(carta de suicídio)

quinta-feira, 3 de abril de 2014

"Gravidade" alternativa

Na era da democratização da tecnologia digital, tudo é possível. Até fazer esta montagem vídeo que junta uma sequência do filme "Gravidade" com...
Bom, o melhor é mesmo ver para não estragar a surpresa:

quarta-feira, 2 de abril de 2014

O livro para compreender o rock alternativo português

"Trata-se de um livro que pretende delinear e explicar sociologicamente um segmento musical do pop rock: o rock alternativo português. Este intuito é concretizado pelo recurso e aplicação dos contributos da sociologia da cultura e das artes àquele objeto, reinterpretando-o e dando-lhe uma configuração concreta. Três eixos deste trabalho merecem destaque: a adopção de uma ótica alargada e exaustiva do rock alternativo português, abarcando um amplo e diversificado leque de atores (músicos, jornalistas e críticos, bloggers, editores, promotores, music lovers); a identificação das características e propriedades do rock alternativo português assente nos discursos formulados pelos próprios protagonistas; e a valorização de uma perspetiva de análise diacrónica que permitiu identificar a génese e a dinâmica do rock alternativo entre 1980 e 2010 em Portugal."
Comprar aqui.

terça-feira, 1 de abril de 2014

Playtime #87

E porque há muito tempo que não há um desafio Playtime:
---------------------------
A solução: "Crimes e Escapadelas" (1989) - Woody Allen
Quem descobriu: m.g.