terça-feira, 12 de agosto de 2014

A morte de Robin

Poderá ser um lugar-comum dizê-lo, mas a comédia e a tragédia são faces da mesma moeda. Na arte como na vida. Robin Williams era um grande actor cómico, também o foi nos poucos desempenhos dramáticos que teve no grande ecrã. Na chamada vida real era um ser humano como qualquer outro, com fraquezas e angústias severas (quem nem sempre deixava transparecer para o grande público). Com a sua personalidade enérgica e a sua veia humorística indubitável, Robin fez milhões de pessoas felizes. Mas o seu temperamento escondia um lado deveras sombrio e emocionalmente desequilibrado. O seu suicídio foi, aparentemente, o epílogo de um longo e penoso processo depressivo e de dependências de drogas e álcool.  

Relato aqui o testemunho de uma entrevista do jornalista e crítico de cinema Eurico de Barros que foca o temperamento do malogrado actor de "O Clube dos Poetas Mortos":

"Aqui há uns anos, entrevistei Brian De Palma no Festival de Cannes. No final, já com o gravador desligado, e por De Palma se ter revelado uma das pessoas mais joviais e bem-dispostas com quem falei no mundo do cinema, a conversa derivou para os temas da felicidade e da tristeza, e o realizador de 'Vestida para Matar' disse-me isto: "Algumas das pessoas mais descontraídas, bem-humoradas e de bem com a vida que conheço realizam filmes policiais e de 'suspense' como os meus, e filmes de terror dos mais tremendos. Mas olhe que entre as pessoas mais infelizes, depressivas e instáveis com que me cruzei nesta indústria, estão os cómicos. É impressionante." E citou-me alguns nomes que considerava serem exemplos extremos, entre os quais o de Robin Williams. 
Foi logo desta confidência de Brian De Palma que me lembrei, quando soube, há pouco, da morte trágica de Robin Williams."

Eurico de Barros (via Facebook)

1 comentário:

Ana S. disse...

É verdade. Os grandes cómicos como Jim Carey, Rowan Atkinson ou Jerry Lewis já passaram pela depressão. Por detrás de um sorriso esconde-se uma alma sofredora que usa a comédia para disfarçar o que doí lá no fundo. É de lamentar a morte do grande Robin Williams :(