terça-feira, 18 de outubro de 2011

Em defesa da cinefilia



Consta-se que algumas pessoas pertencentes à nova geração de cinéfilos renegam a palavra… “cinefilia”. Que perdeu todo o seu significado e importância, dizem. Não sei como tal é possível. O cinéfilo é alguém que vive apaixonadamente o cinema, que o frui com prazer, que o descobre num incessante manifesto de afecto e dedicação. O cinéfilo é alguém que nutre devoção pelas imagens em movimento, pela câmara em movimento, pelas histórias em movimento, pelo olhar em movimento.

A cinefilia é esse exercício eternamente cúmplice entre ao real e o imaginário, entre a ficção e o sonho. A defesa da cinefilia é a defesa da grande história do cinema, dos seus heróis e vilões, dos seus carismáticos cineastas e invulgares actores, actrizes belas e filmes imortais.

Só os realizadores verdadeiramente cinéfilos amam o cinema e sabem o que é o cinema (Martin Scorsese que o diga). Só os espectadores verdadeiramente cinéfilos sabem porque é que amam sentar-se em frente ao ecrã (grande ou pequeno) para verem os mesmos filmes preferidos, uma e outra vez, como se fosse a primeira.

É como dizia João Bénard da Costa: “Uma coisa é dizer que se gosta de cinema, outra diferente, é afirmar que se ama o cinema”.

4 comentários:

ritha, a fine young girl who keeps spinning around disse...

Quem são esses da nova geração de cinéfilos que rejeitam a palavra "cinefilia"? Faço parte dessa tal "nova geração" e jamais renegarei a minha cinefilia.

Anónimo disse...

Como cinéfila, adorei este seu texto e a sábia citação das palavras de João Bénard da Costa.
Renegar a palavra "cinefilia"?!
Que estupidez!
E adorei ver-me (quase) ao espelho na imagem que inseriu. Já me encontrei algumas vezes nessa estranha (inquietante e até agradável) situação de ver um filme numa sala de cinema sozinha. Um luxo! Às 18h.30mn - certo... Mas uma sala de cinema cheia tem outro fascínio - é difícil imaginar o cinema sem a sala escura e cheia. Faz parte do mistério do "cinema".
Delicio-me e aprendo imenso com o seu blogue. E os pseudofilmes para pessoas com pressa são verdadeiras pérolas - que sempre me fazem rir ou sorrir. E bem preciso/amos de humor.
Cinema e cinéfilos... sempre!
Parabéns pelo seu blogue - descoberto há pouco tempo. Mas mais vale tarde do que nunca...

Rato disse...

Sala cheia = burburinhos = pipocas = telemóveis = nervosismos = distrações = incómodos.
Não, muito obrigado, fico-me pela sala escura - e quantas menos silhuetas, melhor!

O Rato Cinéfilo

Andreia Mandim disse...

Nem mais.Sábias palavras.

cumprimentos,
cinemaschallenge.blogspot.com