sábado, 18 de janeiro de 2014

Cinema: Uma Odisseia Fascinante



Caro cinéfilos leitores deste humilde blogue: nunca digam que são já grandes conhecedores da história do cinema. Que já conhecem e viram todos os grandes filmes de todos os períodos do cinema. Que conhecem as histórias por detrás de grandes correntes estéticas ou de grandes cineastas do mundo inteiro. Isto porque, apesar da curta existência do cinema, há muitas formas de olhar e interpretar o cinema enquanto arte e indústria. Ou seja, há ainda muito a descobrir no que ao cinema diz respeito.
Por isso, se quiserem ter uma nova visão do que foi (é ou será) a história do cinema, nada melhor do que adquirir o excelente pack de 5 discos "The Story of Film – An Odyssey / A História do Cinema – Uma Odisseia" editado no final de 2013 pela Midas Filmes
O documentário é ambicioso e monumental: são 15 horas, 120 anos representados, abordagem ao cinema de 6 continentes e mais de 1000 filmes referenciados no filme definitivo sobre a 7ª Arte. O autor de tamanha façanha, o crítico e realizador Mark Cousins, viajou pelo mundo fora para filmar locais míticos de filmes, entrevistar figuras históricas do cinema e para nos dar uma outra forma de compreender o cinema. É um trabalho de grande amor pelo cinema, fruto de uma paixão cinéfila raramente vista.
É o próprio Mark Cousins que escreveu o guião e que narra (com o seu delicioso sotaque irlandês) a evolução da história do cinema. Cada capítulo é dividido numa hora, abordando temas específicos. Ver aqui a lista impressionante e completa dos temas e dos filmes analisados (desde o tempo do mudo aos blockbusters americanos, de Hollywood a Bombaim, da época de ouro do cinema americano das décadas de 30 e 40, ao eclodir da Nouvelle Vague e do neo-realismo na Europa e depois do Cinema Novo de todos os continentes, através de centenas de entrevistas e depoimentos e muito material inédito, este é um documentário de puro fascínio e deslumbramento).
A metodologia de análise do autor é deveras inteligente: não só aborda as grandes obras-primas do cinema, como vai buscar filmes e temas pouco mencionados para explicar como a história "oficial" do cinema é ainda limitada e pouco abrangente. E a cada minuto que passa, somos surpreendidos com dados sobre um filme ou um realizador que desconhecíamos. E tem sempre a preocupação de relacionar a evolução do cinema com a evolução da sociedade e da história ocidental (e não só).
Eis uma entrevista com o realizador Mark Cousins, na qual explica como construiu e pensou esta colossal revisitação da história do cinema.
Ainda vou apenas a meio desta incrível saga "A História do Cinema: Uma Odisseia" mas já percebi que se trata de uma verdadeira lição de cinema, altamente pedagógica, bem montada e explicada, uma aventura imperdível pelas muitas histórias que o cinema encerra.
Aliás, basta ver como Mark Cousins, logo no arranque da sua história do cinema, explica o que é verdadeiramente essencial no cinema: parte de três filmes muito diferentes com um ponto em comum - imagens de copos (ou chávenas) com o borbulhar líquido; os personagens olham para essas bolhas como se fossem o mote para reflectirem sobre a sua vida. E Mark conclui que, mais do que a indústria, o dinheiro ou o marketing, o que faz evoluir o cinema são as ideias visuais:







6 comentários:

Rui Alves de Sousa disse...

Vale a pena ler o livro! Está editado em Portugal! :)

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Conhecia o livro mas não sabia que estava editado em Portugal. Tem tradução portuguesa ou é de importação?

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

É este? http://www.fnac.pt/Biografia-do-Filme-Mark-Cousins/a13776

Rui Gonçalves disse...

Ainda não vi o documentário. Mas o livro "Biografia do Filme" é francamente recomendável.

pedro disse...

Li o livro há uns tempos e adorei:

http://pedrices.blogs.sapo.pt/65600.html

Mal posso acreditar que existe agora em filme.

Uau!

Rato disse...

O que se aborda aqui é efectivamente o CINEMA, nas suas mais variadas cambiantes. Nada tem a ver com a esmagadora dos filmes que povoam agora os écrans das salas de "cinema".
Ainda ontem acabei de ver o 1º espisódio do 3º volume. Vou portanto a meio da série e estou a gostar imenso. Então aquele sotaque do Cousins é uma delícia...