terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Óscares e o realismo



Este ano a lista de nomeados dos Óscares tem uma particularidade rara que, julgo, estará a passar despercebida a muitos cinéfilos: refiro-me ao facto de haver oito filmes nomeados (em diversas categorias) cujas histórias são baseadas em factos verídicos. Analisei a lista de todas as nomeações e creio que não estarei a cometer nenhum erro (só não tenho a certeza em relação às curtas-metragens).
Não me recordo de ter havido, em anos anteriores, tantos filmes nomeados com base em histórias reais. Significará isto que a indústria do cinema (sobretudo a de Hollywood) procura inspiração nos chamados casos da vida real? Será uma tendência a manter ou terá sido mera coincidência? Aguardemos, portanto... 

Eis a lista:

- "Lincoln"
- "00h30: A Hora Negra"
- "Argo"
- "Flight - Decisão de Risco"
- "O Impossível"
- "The Sessions"
- "Rebelle"
- "Hitchcock"

PS - Entretanto, vai surgir nova vaga de biopics. Estão já confirmados filmes sobre figuras reais: Julianne Moore vai ser Sarah Palin (na imagem em baixo); Ashton Kutcher vai ser Steve Jobs; Al Pacino vai fazer o papel do músico Phil Spector; James Franco encarnará o dono da Playboy Hugh Hefner e Tom Hanks será o capitão Phillips. 

6 comentários:

Rafael Santos disse...

A Academia pelos vistos gosta do factor "credibilidade" eheh
Da lista, ainda só não tive oportunidade de ver o Flight e o Rebelle, estou bastante curioso para este último. Para breve.

Cumprimentos,
Rafael Santos
Memento Mori

Sam disse...

E, também, um certo sentido pró-América e pró-Hollywood: só isso poderá explicar a forte possibilidade de um título como ARGO vir a ser considerado Melhor Filme de 2012.

Cumps cinéfilos.

Arm Paulo Fer disse...

É sim uma realidade. Os americanos estão a prestar uma redobrada atenção para os casos veridicos. Penso que é um factor que ajuda a comercialmente a "vender" ainda mais. Contudo, noto que, por estes filmes desta edição, que continuam a olhar muito para o umbigo deles e a fazer filmes das histórias deles como sendo algo mundial... it's business!

Que o "Amour" traga tudo das categorias onde está metido!

Marcelo C,M disse...

Hoje existe cada vez mais o desejo de se assistir um filme mais pé no chão, deixando o gênero fantástico em segundo plano.

Loot disse...

O biopic da Sarah Palin já existe, é um telefilme do ano passado: http://www.imdb.com/title/tt1848902/

Concordo coma tendência, e se há uma crise de ideias nada como ir procurar histórias verídicas.
Já em anos anteriores, filmes como o discurso do rei, Ray, Walk the line, foram muito bem recebidos, não os desvalorizando - até porque dos 3 só vi o Ray.

Anónimo disse...

A importância que vocês os pipoqueiros dão aos Oscares nunca deixa de me surpreender!