sábado, 28 de dezembro de 2013

Top 2013 - Filmes




Top 2013 - Filmes 

Preâmbulo: ainda não vi filmes que potencialmente poderiam constar na minha lista: “Fuga” de Jeff Nichols, “O Desconhecido do Lago” de Alain Guiraudie, “Frances Ha” de Noah Baumbach, “No Nevoeiro” de Sergei Loznitsa, “Paixão” de Brian De Palma, “Para Lá das Colinas” de Christian Mungiu, “A Rapariga de Parte Nenhuma” de Jean-Claude Brisseau, “Nebraska” de Alexander Payne, “12 Anos Escravo” de Steve McQueen, “O Passado” de Ashgar Fahradi, “Tal Pai, Tal Filho” de Hirokazu, “A Propósito de Llewyn Davis” de Joel e Ethan Coen, entre outros. 

Assim, e pela primeira vez sem ordem de preferência, eis os filmes que vi em 2013 de que gostei mais:

- “Hannah Arendt” – Margarethe von Trota
- “Post Tenebras Lux” – Carlos Reygadas
- “A Grande Beleza” – Paolo Sorrentino
- “Django Unchained” – Quentin Tarantino
- “Ferrugem e Osso” – Jacques Audiard
- “Lore” – Cate Shortland
- “Desligados” – Henry Alex Rubin
- "Camille Claudel 1915" - Bruno Dumont
- “Blue Jasmine” – Woody Allen
- “Gravidade” – Alfonso Cuarón
- “A Caça” – Thomas Vinterberg
- “The Act of Killing” – Joshua Oppenheimer
- “Prisoners” – Denis Villeneuve
- “O Mentor” – Paul Thomas Anderson
- “Room 237” – Rodney Ascher
- “A Vida de Adèle” - Abdellatif Kechiche
- “A Loja dos Suicídios” - Patrice Laconte
- “Kon-Tiki – A Viagem Impossível” – Joachim Ronning
- “Like Someone in Love" – Abbas Kiarostami
- “Dentro de Casa” - François Ozon
- “Hitchcock” – Sacha Gervasi
- “Antes da Meia-Noite” – Richard Linklater
- “Berberian Sound Studio” – Peter Strickland

Edições DVD do ano: 
“Shoah” (Midas Filmes) – Claude Lanzmann 
Pack Béla Tarr (Midas Filmes)
Pack Hitchcock “Os Primeiros Anos” 
Pack “Integral João César Monteiro”
"The Story of Film - An Odissey" - Mark Cousins
Pack "Tetralogia do Poder" - Alexander Sokurov

Reposições do ano: 
“Hiroshima Meu Amor” – Alain Resnais 
"2001 – Odisseia no Espaço” - Stanley Kubrick 
“Casablanca” – Michael Curtiz 
“Viagem a Tóquio” – Yasujiro Ozu
------------------
Top 2012     Top 2011  

2 comentários:

Rui Gonçalves disse...

Não falta nada daquilo que valeu a pena. :-)
PS1: A Caixa do Béla Tarr não é de 2012? PS2: A caixa do Sokurov também merecia entrar...

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Rui: agora fiquei na dúvida em relação ao ano da caixa do Béla Tarr... Talvez seja mesmo de 2012!
E claro que a caixa do Sokurov merece também ser referenciada. Obrigado.