domingo, 16 de fevereiro de 2014

"Her" - O amor não escolhe fronteiras


"Her - Uma História de Amor" de Spike Jonze é um filme original sobre um amor original. De resto, da mente criativa de Spike Jonze só podia resultar numa história invulgar. Mais: uma história tão invulgar que consegue ser verosímil. Nas mãos de outros realizadores (por exemplo, Spielberg), esta história de um homem deprimido (fantástico Joaquin Phoenix) que se apaixona (e o amor é retribuído!) por um sistema operativo informático, resultaria numa xaropada completa e sem sentido.

Na visão iconoclasta e moderna de Jonze, habituado aos universoScarlett Johansson, ajuda a compreender o fascínio do personagem de Phoenix pelo seu sistema operativo. E já não sentíamos emoção nesta relação entre o homem e a máquina desde que Stanley Kubrick imaginou o computador Hal 9000 no clássico de ficção científica "2001 - Odisseia do Espaço" (1969).
s mais surreais e a um imaginário prolífero (mas muito humano), "Her" cumpre e convence. Que a voz do computador Samantha seja da sedutora

Mas esta obra de Spike Jonze é mais do que uma relação futurista sobre novas formas de relacionamento humano - máquina. É também um fascinante estudo sobre a solidão do homem contemporâneo em busca do amor e de compreensão num mundo virtual cada vez mais omnipresente. A direcção artística do filme é brilhante (espaço urbano, decoração, adereços, vestuário...), as interpretações idem, a realização é segura e a fotografia dá-nos cores difusas como que a acentuar a atmosfera difusa da relação inusitada.

4 comentários:

Marcelo Castro Moraes disse...

É um filme que todos irão se identificar.

Nada disse...

Estou muitooo curiosa por ver este filme e ainda não tive tempo. Será um dos meus próximos serões certamente...agora ainda fiquei com mais vontade

Eva Sousa disse...

Uma reflexão sobre a matéria da consciência humana e sobre o próximo passo na evolução do ego (talvez o corpo seja apenas um empecilho nas relações humanas)

Anónimo disse...

demostra um pouco de como não é preciso ter uma cara bonita, ou um corpo bonito para nos apaixonar-mos e como mesmo longe o sentimento permaneca...