sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Cinéfilo, eu?

Por vezes discute-se o que é ser cinéfilo. Segundo João Bénard da Costa, ex-Director da Cinemateca Portuguesa, há uma significativa diferença entre "gostar" de cinema e "amar" o cinema.
E é verdade que esta diferença define o que é um verdadeiro cinéfilo e um espectador vulgar de cinema.
Repare-se na seguinte tabela comparativa que elaborei. Não se trata de um estudo científico e académico. É aquilo que a minha intuição e experiência dizem: uma pessoa que goste de cinema e que tenha alguns conhecimentos, fará uma lista de preferências como aquelas que estão na tabela da esquerda. Será, por assim dizer, um Cinéfilo QB (quanto baste). Mas para os mesmo filmes haverá o verdadeiro Cinéfilo, aquele que tem um conhecimento mais profundo da história do cinema e um gosto mais definido, por isso, escolhe outros filmes menos conhecidos dos mesmos cineastas.

Cinéfilo QB                                                                          Cinéfilo
"Citizen Kane"-------------------Orson Welles ------------------"Macbeth" (1948)
"2001 - Odisseia no Espaço"---Stanley Kubrick---------------"The Killing" (1956)
"O Sétimo Selo"-----------------Ingmar Bergman-------------"A Fonte da Donzela" (1959)
"Manhattan"----------------------Woody Allen-------------------"Zelig" (1983)
"Janela Indiscreta"---------------Alfred Hitchcock--------------"The Lodger" (1927)
"A Lista de Schindler"----------Steven Spielberg---------------"Duel" (1971)
"Nosferatu"-----------------------F.W. Murnau-------------------"Tabu" (1933)
"O Padrinho"---------------------Francis Coppola----------------"Rumble Fish" (1983)
"O Touro Enraivecido"---------Martin Scorsese-----------------"Mean Streats" (1973

Depois há outra facção de cinéfilos, que são os hardcore, aqueles "ratos de cinemateca" que acham que até os filmes da coluna da direita são demasiado mainstream para o seu gosto refinado. Estes cinéfilos hardcore gostam é dos clássicos mais obscuros, dos títulos de culto das sessões da meia-noite e de festivais de cinema independentes. São os amantes incondicionais do cinema mais alternativo/vanguardista, formando uma espécie de elite cinéfila.

Uma lista de filmes preferidos dos Cinéfilos Hardcore será por exemplo assim:

"Meshes of the Afternoon" (1943) - Maya Deren 
"Woman in The Dunes" (1964) - Hiroshi Teshigahara
"Pastoral: To Die In The Country" (1974) - Shuji Terayama
"Warning Shadows" (1923) - Arthur Robinson
"Thunderbolt" (1929) - Josef von Sternberg
"The Stranger on The Third Floor" (1940) - Boris Ingster
"Begotten" (1990) - E. Elias Merhige
"O Quadro Negro" (2000) - Samira Makhmalbaf
"Daisies" (1966) - Vera Chytilová
"Flaming Creatures" (1963) - Jack Smith
"O Anjo das Ruas" (1928) - Frank Borzage
"My Degeneration" (1990) - Jon Moritsugu
"Love Making"  (1969) - Stan Brakhage

E o caro leitor, em que categoria de cinéfilo se integra?

7 comentários:

Rui Gonçalves disse...

Pela perspectiva do Victor nem sei bem:
Welles - Chimes of Midnight;
Kubrick - Lolita;
Bergman - Luz de Inverno ou Persona;
Woody Allen - Manhattan;
Hitchcock - Vertigo;
Spielberg - Minority Report;
Murnau - Tabu
Coppola - One From the Heart;
Scorsese - O Touro Enraivecido ou O Rei da Comédia.

Miguel Fernandes disse...

Julgo ser cinéfilo QB:

Welles: Touch of Evil
Kubrick: Dr. Strangelove
Bergman: Morangos Silvestres
Woody Allen: Crimes and Misdemeanors
Hitchcock: Vertigo
Spielberg: Schindler's List
Murnau: Aurora
Coppola: The Godfather ou Apocalypse Now
Scorsese: Taxi Driver


Rui Alves de Sousa disse...

Um cinéfilo não pode dizer que O Padrinho é o melhor filme de Coppola, tendo visto todos os outros títulos da filmografia do realizador? :p

Victor Afonso disse...

Rui: poder pode, mas a tendência para o cinéfilo se evidenciar e distinguir dos outros é escolher outros títulos à partida menos considerados ou conhecidos do público. Mas como eu referi no início, isto é um mero exercício retórico. ;)

ajanelaencantada disse...

Esta discussão pode inserir-se noutra mais global que inclui todos os campos da arte e da cultura. Quem vai ao cinema só ver os filmes da Marvel é gozado por quem procura algo mais sério, mas sem grande conhecimento, que por sua vez é menosprezado pelos que chamas cinéfilos QB, que conhecem os clássicos, que por sua vez são ridicularizados pelos "cinéfilos" da tua lista, que por sua vez...

A dada altura dizes algo que me parece ser chave "para o cinéfilo se evidenciar e distinguir dos outros". Acho que para mim essa é a questão fundamental. Quanto do que vemos tem mesmo a ver connosco (com os nossos sentimentos, desafios, evolução pessoal, sentidos estéticos) e quanto do que vemos é só porque nos queremos evidenciar?

Esta tua questão interessa-me imenso (como disse, não só no cinema), mas ainda não tenho respostas para ela.

José Carlos

António Tavares de Figueiredo disse...

Serei um cinéfilo qb com laivos de hardcore, um um cinéfilo hardcore com um gostinho "vulgar"?

Welles - The Magnificent Ambersons
Kubrick - The Shining ou Eyes Wide Shut
Bergman - Persona (e aqui "doeu-me" não escolher O Sétimo Selo)
Allen - Manhattan
Hitchcock - Rebecca ou Rope
Spielberg - Close Encounters of the Third Kind
Murnau - Aurora
Coppola - The Conversation
Scorsese - After Hours

Victor Afonso disse...

As duas coisas, António. ;)