domingo, 10 de junho de 2012

"Prometheus"

Vi "Prometheus" numa sessão da meia-noite (com umas dez pessoas na sala de cinema). 
Globalmente, gostei desta nova incursão de Ridley Scott na ficção científica. Não estará ao nível de "Blade Runner" ou até "Alien", mas "Prometheus" demonstra fortes atributos que o podem colocar num pedestal elevado na filmografia de Scott: um argumento ardiloso e bem construído, interpretações soberbas (magníficas Noomi Rapace e Charlize Theron, excelente Michael Fassbender), uma realização à altura, uma banda sonora extremamente eficaz (de Marc Streitenfeld) e efeitos visuais impressionantes que estão ao serviço da história e não apenas para enfeitar o ecrã. Falta referir o contributo essencial do famoso artista HR Giger, responsável por todo o fascinante "set design" e as características visuais do filme (monstros incluídos).
"Prometheus" é menos uma prequela óbvia de "Alien" e mais uma meditação - em forma de filme de acção - sobre a origem da Humanidade e o lugar do homem na Terra. E já não é dizer pouco.

1 comentário:

Francisco Costa disse...

embora ache que o argumento tinha tudo para ser uma obra-prima do cinema de ficção científica e considere um filme graficamente belo e extremamente cuidado, pessoalmente ficou-me além das expetativas (eram altas), especialmente a segunda metade do filme que me pareceu ser mais para agradar ao público de massas.