sexta-feira, 7 de junho de 2013

O Futuro Distópico

José Carlos Maltez, autor do blogue de cinema A Janela Encantada, convidou-me para escrever na rubrica "O Meu Ciclo". Ou seja, tive de imaginar um ciclo temático ligado ao cinema e justificar (ou descrever) a escolha. Foi o que fiz. 
Intitulei ao "meu ciclo" de "O Futuro Distópico" e seleccionei um conjunto de filmes aconselhados que correspondessem à essência do tema. Pode ler o resultado das minhas opções aqui.

8 comentários:

Anónimo disse...

I do not even know the way I stopped up here, however I believed this put up
was great. I do not recognize who you might be however definitely you are going
to a famous blogger if you happen to are not already.
Cheers!

Look into my web page - crash diets that work

Anónimo disse...

It is really a great and helpful piece of information.

I am glad that you just shared this useful info with us. Please
stay us informed like this. Thank you for sharing.


Here is my weblog: easy diets that work

Anónimo disse...

I am regular visitor, how are you everybody? This paragraph posted
at this site is genuinely nice.

my website how to lose Weight fast

Anónimo disse...

I am really impressed with your writing abilities as neatly as with the format for your weblog.
Is this a paid theme or did you modify it your self?
Either way stay up the nice high quality writing, it's uncommon to see a nice weblog like this one nowadays..

Have a look at my webpage ... waist height ratio

Anónimo disse...

Wow that was unusual. I just wrote an very long comment but after I clicked
submit my comment didn't appear. Grrrr... well I'm not writing
all that over again. Regardless, just wanted to say wonderful
blog!

Also visit my web-site ... resting metabolic rate calculator

Anónimo disse...

Hello, after reading this amazing post i am as well delighted to share
my know-how here with mates.

Take a look at my website; metabolic rate calculator

Alice N. disse...

Sabe o que me assusta nisso tudo? É que o real está cada vez mais próximo do que classificávamos como ficção. A comparação levar-nos-ia muito longe e não cabe num comentário, mas diria, por exemplo, que hoje não se queimam livros, mas queimam-se cérebros - o que até é capaz de ser mais eficaz. O homem não se quer racional e muito menos emocional. Basta ser funcional. Entretanto, A TV vai adormecendo o povo, a cultura é desvalorizada e o conhecimento chega a poucos. As "elites" estão cá para olharem por nós e pensarem no que é melhor para a sociedade. Uma Alphaville ou um Fahrenheit em potência (só para citar alguns) - maravilha da sociedade tecnológica e tecnocrata. Víamos/líamos essas obras como alerta e crítica, é certo, mas com o filtro da metáfora e da hipérbole. Hoje, diria que qualquer dissemelhança com a realidade é uma mera questão de tempo... Resta-nos lutar. Ainda acredito que podemos inverter o rumo.

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

É uma boa análise, Alice, que eu subscrevo.
No blog tenho escrito coisas ligadas a esse universo distópico, e muito sobre o poder pernicioso da televisão. Aqui - http://ohomemquesabiademasiado.blogspot.pt/search?q=televis%C3%A3o