terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

A importância da capa


Numa banal visita à Fnac, deambulando pela secção de filmes em DVD, assisti um dia a um diálogo entre duas raparigas adolescentes sobre as suas preferências cinematográficas. A páginas tantas, mesmo ao meu lado, nao pude deixar de ouvir o seguinte diálogo entre elas:
- Que filme é este?
- Promessas Perigosas - não conheço.
- Ah, mas não deve valer nada!
- Como é que sabes?
- Pela capa. Eu vejo logo a qualidade dos filmes pela capa e esta não presta!
Engoli em seco e dirigi-me ao bar tomar um café para amenizar o impacto da coisa.

19 comentários:

Flávio Gonçalves disse...

Ahahahahahah... dá vontade de rir! Talvez prefiram esta:
http://fotos.sapo.pt/geRwvHZBKvEFUjcK3udC/

Alexander Sweden disse...

Muito bom. Vivemos numa sociedade completamente alicerçada na aparência e não no conteúdo!

Ricardo Martins disse...

Se fôssemos a ouvir tudo o que duas fedelhas desmioladas dizem...

joao amorim disse...

primeiro: a capa tem grande importância. é o primeiro chamariz, contando com o título, para a atenção.

segundo: mesmo que elas conhecessem o filme diriam que não vale nada. nunca o vi, mas o que conheço dele é suficiente para saber que não agradaria à geração light.

terceiro: enfim, não há nada a dizer... quem percebe de cinema são elas :)

cumps

Guakjas disse...

Situação típica...Não me admira nada.
Concordo com o Alexander...Completamente.
LOL Flávio Gonçalves! Isso sim, é um grande filme :O

Cumprimentos Vitor

O Provedor disse...

Geração Twilight e Justin Bieber...

João Ruivo disse...

É triste mas é verdade. Hoje em dia liga-se mais à embalagem do que ao conteúdo. E ainda por cima tem-se mau gosto nas embalagens porque esta é (para mim) muito boa.

Mais um caso semelhante são as reacções aos Grammys mais propriamente ao galardão atribuído aos Arcade Fire (Disco do Ano).

As pessoas estão mais preocupadas com o número de seguidores no Twitter da banda e com o seu nome do que com a música em si. (ver o link) http://whoisarcadefire.tumblr.com/

É ridículo e quase me dá a volta ao estômago ver tanta ignorância junta. Como diz um amigo meu: "moços novos".

Gema disse...

è mesmo uma grande tristeza... por acaso já se deu o caso de olhar para a capa de algum filme que não conheço, mas li a história e pareceu-me interessante - comprei e gostei.
Já me aconteceu também o contrário. Mas definitivamente não é uma capa que vai definir um filme. Elas não sabem o que dizem ai ai!

Cris Mitsue disse...

Se eu tivesse no seu lugar, eu interromperia a conversa das duas e daria um sermão nelas.. "Como pôde julgar um filme pela capa!? Oh, não fazem mais adolescentes como antes! Oh! Oh!" Sairiam dali chorando.

:D
Brincadeirinha.

Fábio Silva disse...

Não acho que seja, enfim, uma grande tristeza. Constantemente rotulamos coisas quando as vemos pela primeira vez. Dizer que uma pessoa é simpática (ou não) cinco minutos após lhe apertar a mão é também um preconceito. Com os filmes é a mesma coisa; quantos de nós já não levamos um filme dum vídeo-clube, só porque a capa nos agradou?
Mas (e este "mas" é importante) não basta apenas olhar para a cor da capa para o respectivo titulo para fazermos juízos de valor, é preciso ter, obviamente, mais uns quantos factores em conta.

Rato disse...

Pois eu cá acho que as moçoilas acertaram na mouche. Sem o saberem, mas acertaram. Quantos filmes, sobretudo os antigos, têm quase sempre uma apresentação miserável? Já viram por acaso as embalagens em que vêm servidos os filmes do Buñuel recentemente postos à venda? Que é dos magníficos posters originais? A verdade é que as editoras não ligam puto às capas dos produtos que põem no mercado e depois admirem-se destas reações.

O Rato Cinéfilo

Rafael Fernandes disse...

Não é preciso serem adolescentes, às vezes ouço barbaridades de gente adulta, e bem formada.Quanto às capas, obviamente que como o Rato disse, contam, e muitas vezes descura-se um bocado esse aspecto no marketing dos dvd's. Por outro lado, também acho que ninguém vai comprar Buñuel pela capa. Eu nunca comprei um dvd pela capa, mas obviamente que o mercado dos dvd's não vive só de cinéfilos.

Anónimo disse...

Portanto... elas têm razão!
Parabéns caro "Rato", és um gajo inteligente!

Alexander Sweden disse...

É impressão minha ou o Anónimo anda muito amiguinho do rato cinéfilo?!

Peter Gunn disse...

Tenho que dar o braço a torcer ao Rato, ele tem bastante razão e por consequente elas também... infelizmente quantas vezes não encontramos filmes memoráveis em edições com capas horriveis? Se a malta só fosse comprar tudo o que fosse bonito à vista não havia um filme que se aproveitasse em certas colecções!!!

Muitas vezes lembro-me dos belos artworks que estavam presentes nos posters dos filmes do 007 mas que depois nas "belas" edições remasterizadas e tudo do melhor a capa é simplesmente uma bela cagada... mas será que não conseguiam fazer nada mais bonito que um gajo a agarrar numa pistola sobre um fundo preto? (Isto não quer dizer que com o facto da capa não prestar o filme preste...)

Cumprimentos

Rato disse...

Caro Rafael:
É claro que, genericamente, o que importa é o filme e não a capa. Mas se pudermos escolher...
Eu, por exemplo, já encomendei DVD's fora - apesar de os haver por cá à venda - simplesmente por causa do artwork. E também já não é a 1ª vez que imprimo o poster original para depois o colocar na frente da caixa do DVD.
Manias, claro, mas a cinefilia, acho eu, também passa - e muito - pela imagem

O Rato Cinéfilo

ca disse...

E num hipermercado a procurar de acordo com a duração do filme...

Anónimo disse...

Realmente a capa não é grande coisa, em contrário do filme, que é bom, e da interpretação do Viggo Mortensen que é sublime. Acho que até se falou na produção da continuação, mas não sei se isso se concretizou.

João M.

Anónimo disse...

Conferencia de snobs... (não interromper)