sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Coppola e a "lavagem cerebral"


Francis F. Coppola sempre se assumiu, ao longo da sua já longa carreira, como um orgulhoso outsider face ao sistema de Hollywood. Mesmo quando esse sistema lhe financiou alguns dos seus filmes mais ambiciosos. Um autor dentro da indústria, portanto. Por isso criou a sua própria produtora independente, a Zoetrope, ainda que tenha ido à falência após o fracasso comercial (mas não artístico) do filme “Do Fundo do Coração” (1982).

Recentemente, o cineasta de “Apocalypse Now” deu mais uma beliscadela ao sistema da indústria ao referir que "Hollywood não tem feito mais do que uma 'lavagem cerebral' aos espectadores com filmes que são todos idênticos, que não ousam nem arriscam".

Tirando algum exagero nesta crítica, Coppola não deixa de, genuinamente, gerar controvérsia e provocaar alguma reflexão. É que, "lavagem cerebral no cinema", seria um promissor e profícuo tema para um dissertação académica.

1 comentário:

Camila disse...

De fato, e seria uma tese brilhante.