quarta-feira, 25 de maio de 2011

Já chega de "Só Grandes Músicas"!


O semanário Expresso publicava esta semana um interessante artigo sobre os efeitos nem sempre benignos da música em excesso. E da necessidade do nosso cérebro trabalhar em silêncio. Mas na nossa era é praticamente impossível vivermos e trabalharmos sem música de alguma espécie. E os estabelecimentos e locais públicos são grandes responsáveis deste fenómeno. Sobretudo se estiverem a transmitir músicas de certas rádios...
É o caso da inefável RFM, a estação de rádio nacional especializada em divulgar os êxitos comerciais da actualidade, perdão, dos anos 80. A RFM, cujo ambicioso lema é "Só Grandes Músicas".

Entre-se em qualquer loja comercial, repartição pública, consultório, táxi ou café e as estatísticas provam que, se houver uma rádio sintonizada – na senda de querer dar musica ambiente ao cliente – há fortíssimas probabilidades de estar sintonizada na bolorenta RFM ou na esclerosada Rádio Comercial. Não falha. Como, ainda por cima, a cultura dos eighties está na moda, estas duas estações são as “special ones” na vanguardista tarefa de divulgar os hits de antanho do Elton John, do Lloyd Cole, do Phil Collins, do Rod Stewart, dos Waterboys ou bandas afins.

A música dos 90 ou da actualidade, praticamente não existe. Há quem goste de ouvir milhares de vezes as mesmas canções pop-corn de outrora (como em tudo na vida), mas no meu caso, quando entrei há dias numa loja e ouvi o locutor, expedito e expansivo, a anunciar a próxima “grande musica”, quase me deu vontade de ir ouvir antes um discurso político do Sócrates.
Ah, a grande música a que se referia o animador radiofónico era a “Dancer in The Dark” do boss Springsteen. Pois.

8 comentários:

Felipe disse...

Reclamando dos clássicos dos anos oitenta? Aqui no Brasil temos que aguentar Justin Bieber, Lady Gaga e um monte de lixo importado dos Eua, além dos EMOS nacionais. O pior é que eles repetem o Top 10 o dia inteiro, obrigando-nos a memorizar os refrões grudentos e estúpidos.

pedro polonio disse...

essas 2 rádios que referes não tenho a "felicidade" de ouvir. mas no edifício onde trabalho, durante as 24 horas do dia a rádio está sintonizada na m80... em todas as áreas comuns temos de levar com as "bonitas músicas" dos anos 80... :-|

Rato disse...

Não tenho muita autoridade para falar, uma vez que musicalmente fiquei estagnado na primeira metade dos anos 70. Intencionalmente, é claro. Mas sempre vou adiantando que a pior música popular teve início na segunda metade desses mesmos anos (com o advento do Disco-Sound) e prolongou-se por toda a década de 80. Nos anos 90 ainda houve algumas tentativas de retorno aos clássicos mas a partir do novo milénio é o deserto total. Como em tudo existem excepções, é claro. Mas há longos anos que deixei de ouvir rádio - quer pela música transmitida quer pela falta de paciência em ouvir os locutores da actualidade que tentam a todo o custo terem mais piada do que o vizinho do lado (tenho apenas pequenissimos vislumbres dessa rádio dos nossos dias sempre que troco um CD por outro no carro).

RD disse...

Pois, simplesmente...

Anónimo disse...

http://www.radarlisboa.fm/

ou

http://www.vodafone.fm/

Não há melhor que estas...

LS

Rolando Almeida disse...

são as políticas de condicionamento comercial, colocar música até nas casas de banho ou, então, talvez, não passe de uma moda. Como trabalho numa escola não tenho de "gramar" isso, mas aqui há uns anos existia uma moda nas escolas completamente aparvalhada, que eram as rádio escola. E era aparvalhada porque aquilo não passava de ocupar os intervalos com um barulho insuportável. Estive numa escola que tinha de fugir dos espaços dos alunos nos intervalos. Nunca percebi porque raio autorizam uma coisa daquelas nas escolas. Imagina o que é entrares numa escola na altura de um intervalo e levares com Lady Gaga aos berros.

Rui Gonçalves disse...

E eu que trabalho numa repartição pública, sei bem o que sofro com a música que passa naquelas estações de rádio parasitas. Mas o gosto dominante dos colegas (apetecia-me perguntar: qual gosto?) e o princípio democrático a isso me obrigam...

Rafael Fernandes disse...

Eu não sou grande fã de rádio, mas ouço a antena 3 de manhã para acordar. De todas parece-me a melhor. Primeiro porque não tem publicidade, enquanto que quando ouvia uma dessas, ouvia mais publicidade do que música. E depois porque apostam em novidades musicais, e nalguma nova musica portuguesa.

http://pensarcinema.wordpress.com/