segunda-feira, 16 de maio de 2011

Kubik - novo disco

O meu projecto musical pessoal, Kubik, apresentou, em concerto no passado Sábado (14 de Maio, no Teatro Municipal da Guarda), o novo álbum - "Psicotic Jazz Hall". A edição tem selo do TMG e pode ser encomendado através deste link. Brevemente estará também disponível nas lojas habituais.

"O percurso musical de Victor Afonso, nos seus quase vinte anos de longevidade, é uma das histórias de maior criatividade e diversidade da que a música portuguesa moderna teve o prazer de conhecer. Das compilações aos discos de originais, da memorável banda sonora original Guarda: A Memória das Coisas às apresentações ao vivo e aos filmes mudos com música original, Victor Afonso foi construindo um corpo de trabalho sem cedências artísticas de qualquer espécie, vanguardista e fusionista no melhor significado possível da palavra. Um trabalho que parte da música electrónica para se abeirar do noise, do jazz, da world music, da pop mais permeável e de tudo o mais que se atravesse no caminho; fluentemente experimental, amigo do sampling, aberto ao mundo.

O seu novo disco (e neste caso “novo” adquire todo um novo contexto), Psicotic Jazz Hall, que fecha a trilogia de álbuns começada por Oblique Musique (2001) e continuada por Metamorphosia (2005), é, quando julgávamos já impossível ir mais além, um constante abrir da palete sonora para deleite dos melómanos mais exigentes. Não é à toa que Mike Patton, mestre do baralha e volta a dar, viu em Victor Afonso um talento que transborda fronteiras. Está nos genes de Victor Afonso reinventar-se a cada vez que mostra novo trabalho. E Psicotic Jazz Hall não é excepção. Os treze temas que compõem este novo disco revelam uma complexidade que não é novidade, um cuidado com os pormenores que é apanágio de Kubik. E sempre que o imenso turbilhão de ideias e recursos encontra um aparente beco sem saída, Victor Afonso descobre uma forma de escapar em classe e em estilo.

O jazz é a matriz principal deste trabalho mas a fragmentação habitual leva esta viagem para outras esferas: que o groove de “Shina-Kak” desapareça já se isto é mentira. Como se Victor Afonso pegasse em toda a boa música do mundo, a desfizesse em estilhaços e depois, subversivamente, a voltasse a reconstruir: é assim que soa Psicotic Jazz Hall, um disco cujo título remete para o título de um álbum do francês Pascal Comelade que, como Victor Afonso, se serve de uma certa bizarria a seu bel-prazer. Da Guarda para o mundo, Victor Afonso volta a assinar um disco com atributos visíveis a partir de outros planetas mas para ser consumido com toda a humanidade."

André Gomes (Editor do Bodyspace, in BIS/TMG - Abril - Junho 2011)


Mais informação, músicas e vídeos em Kubik Music

18 comentários:

Anónimo disse...

He pá, desde que o Galopim dedicou um DNA quase inteiro ao seu livro sobre o Sérgio Godinho, que não via uma coisa tão escancaradamente masturbatória! Oh pá, então pôes no teu blog um texto dum gajo a dizer bem de ti próprio!!!!!

Rolando Almeida disse...

Realmente é extraordinário que quem escreve este tipo de comentários nunca assine.
Caro anónimo e se o autor colocasse um texto a dizer mal do seu próprio trabalho significaria o quê? Honestidade, humildade? O seu comentário parte do pressuposto de que é errado um autor divulgar um texto que diz bem do seu próprio trabalho, mas o interessante é que nem sequer apresenta uma única razão para defender o que defende. Ou será que não é auto masturbatório escrever um comentário anónimo colocando em causa alguém que divulgue uma opinião favorável ao seu trabalho?

Neuroticon disse...

Muitos parabéns!
Quando vieres ao Porto faz publicidade e vou lá ver-te :)

Desde já muito boa sorte...

Anónimo disse...

Eh pá! Oh anónimo das 14 e 36 vai fazer qualquer coisita, vai para o teu blog desabafar essa injeja toda e deixa o Kubik em paz. Pode ser?

Ass. Anónimo das 14h51

Luís Mendonça disse...

Muitos parabéns. Vou publicitar no Facebook!

Anónimo disse...

HÁ MUITO CIUME NO TMG! CUIDADO COM AS PALMADINHAS NAS COSTAS!

Sérgio Currais disse...

Que comentário idiota. "He pá", o Victor publica neste blog centenas de posts sobre o trabalho de outros autores, portugueses e estrangeiros, vivos e mortos, músicos, cineastas, escritores… É mais do que lógico e merecido que fale do seu trabalho e que falem do seu trabalho. Go get a fucking life, seu invejoso da treta. Mais sexo e menos coisas escancaradamente masturbatórias é o que eu te recomendo.

G disse...

No meio disto tudo acho arrogante, desprezivel, desinteressante, insignificante... o comentário do anónimo das 14:36.
Cuide da sua vidinha, dedique o seu tempo a si próprio, analise os seus defeitos, encontre-se consigo mesmo e deixe de lado "ciúmes" mediocres sem qualquer razão de ser. Cada um é livre de escrever o que quer, sobre si ou não; dar a conhecer coisas escritas, sobre si ou não...
Porquê tanta arrogância?
Que paciência!!!!

Jorge disse...

Caro Vitor

Vinha eu em tua defesa e deparei-me com a tua guarda pretoriana!

Força, que os bons não se deixam abater nem sequer por onanistas anónimos!

Lord Varys disse...

Ah ganda Vitinho! Parabéns e obrigado por mais esta pérola da musica alternativa Portuguesa.

Anónimo disse...

Caro Rolando Almeida: parece-me que é apenas uma questão de bom senso.

(outro anónimo)

Manuela disse...

Parabéns Victor! Por acaso vi a anunciar o teu concerto, este fim de semana, no Ípsilon.

Boa sorte!;)

Manuela disse...

Ah! Eu também vou quando vieres ao Porto!

bjs

Felipe disse...

Frequento este blog há algum tempo, mas pela primeira vez ouço teu trabalho. Parabéns! É sempre bom ouvir música inovadora, apreciar uma nova linguagem. Divulgarei seu trabalho aqui no interior de São Paulo.
Aproveito para recomendar um músico que não deve ser novidade para alguns e que talvez seja do agrado de quem gosta de Kubik. Conhecem Hermeto Pascoal?
Parabéns pelo blog!
Abraços,
Felipe Novaes - Brasil

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Obrigado a todos (quase todos) pelo apoio.

Felipe: por acaso vi ao vivo Hermeto Pascoal há pouco tempo. É um grande músico, sem dúvida!

Jorge Silva disse...

Estou certo que o primeiro comentador - Anónimo - já se terá arrependido da sua precipitada participação.

Devemos estar profundamente gratos por Vitor Afonso nos disponibilizar um espaço de cultura tão rico como este e que dê ao mundo discos de uma inventividade e criatividade artística fantástica.

Rolando Almeida disse...

Isto realmente é o delírio. O anónimo sabe perfeitamente com quem está a falar, mas não se identifica e recusa-se a fazê-lo e vem-me falar de "bom senso"??? O que eu acho que é uma questão de bom senso (seja lá o que isso for) é pessoas adultas comportarem-se como tal e não como criançolas javardas.

Luis Baptista disse...

Uma boa sorte para este registo.