domingo, 5 de junho de 2011

Os grandes finais


Houve um dia um realizador (não me recordo qual) que disse que os dois momentos mais importantes de um filme eram os primeiros minutos e os minutos finais. Tudo o resto que acontecia pelo meio era secundário.

Passe o exagero da afirmação, creio que há alguma verdade nela. Isto porque, se um filme tiver um bom arranque e um memorável final, serão motivos para que o espectador nunca mais apague da sua memória esse mesmo filme.

No que se refere aos finais propriamente ditos dos filmes – o último minuto e não os últimos 15 minutos de filme -, há muitos e bons exemplos na história do cinema. Finais surpreendentes, reveladores, de narrativa aberta ou fechada, com ou sem “twists”, com ou sem clímax…

Quem esquece o último minuto do clássico “Casablanca”, com a célebre frase de despedida de Humprhrey Bogart - "I think this is the beginning of a beautiful friendship”? Ou o final de “Citizen Kane” com a revelação do significado de “Rosebud”? Ou a última imagem de "O Padrinho III" (na imagem), com a morte lenta e solitária de Don Corleone?
No site Filmcritic consta uma lista dos 50 melhores finais de sempre, aqueles momentos finais de filmes que, por diversos motivos, ficaram para sempre na memória colectiva dos cinéfilos (atenção que a leitura destes finais contêm spoilers.)

3 comentários:

joao amorim disse...

eu gosto particularmente de finais desconcertantes como os do argumentista C.Kaufman, em Synechdoque, New York, Being John Malkovich e Human Nature, ou do final particularmente alternativo do filme dos irmão Cohen A Serious Man. quanto a inícios, creio que a sequência inicial de Annie Hall é das maiores pérolas do cinema.

cumps

Jorge disse...

Há grandes finais nessa lista, o do Godfather III é um grande exemplo. Como início não tenho como não destacar um dos maiores na minha opinião - Raging Bull.

abraço

yyy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.