sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Cinema português: a encruzilhada

Para ler e reflectir sobre o futuro do cinema português:

10 comentários:

Luís Mendonça disse...

Essa capa faz-me lembrar a de um livro... http://www.amazon.co.uk/Deleuze-Cinema-Arts-Ronald-Bogue/dp/0415966043/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1327665439&sr=8-1

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Realmente, Luís, bem visto. A capa do jornal tem apenas ligeiras alterações (de perspectiva..) mas quase diria que foi a capa do livro que serviu de base para a capa deste jornal. Ou então trata-se de uma imagem famosa referente ao cinema...

Anónimo disse...

johnny guitar,

ja ando farto de ouvir falar no cinema portugues, farto de botelhos, vasconcelos e oliveiras, farto de pseudo intelectuais e pseudo cinefilos. o cinema portugues é o que é: uma porcaria, e à custa disso os ratos enchem o papo dirigindo instituiçoes de apoio ao cinema e escolas. Isto e assim e ponto final!

Anónimo disse...

Sr. guitar, é com estes pseudos que estamos sempre a ser conhecidos no estrangeiros, em Cannes, Veneza e outros festivais de grande prestigio. Cale-se um pouco, beba um whiskyzinho e vá ver César Monteiro, Pedro Costa e Teresa Villaverde.

Anónimo disse...

johnny guitar,

senhor dr. anonimo
ha pouco mais de uma semana o megaupload fechou :( onde é que posso ver filmes desses realizadores visto que nao vivo na capital? é frustrante nao é? e ja agora porque é que os fundos concedidos a certos realizadores nao sao publicos, convinha nao era...
e ja agora "pseudo" nao sao os realizadores, ou melhor, ate sao alguns, mas eu refiro me a pessoas como o senhor, que por conhecer um punhado de realizadores, pesquisados em segundos num google perto de si, e por frequentar blogues desta categoria, pensam logo que percebem de cinema...

os ratos gostam é destas picardias sobre o estado do cinema portugues, gostam de dividir opinioes mesmo quando a verdade é nua e crua

Anónimo disse...

Dr. Guitar já agora já viu alguns filmes desses senhores ? E Porque considera o nosso cinema uma porcaria ? Explique especificamente. Serão os planos longos, são muito chatos para o senhor? Serão as interpretações demasiado teatrais (propositadamente) ? A ausência de narrativa. Será a nudez, os palavrões? O nosso cinema não é feito de telenovela, mas sim cinema puro: desconstrução ou ausência narrativa, a montagem, a poesia. Arte !

Anónimo disse...

Ah e esqueci-me. Sempre tem os torrents ao seu dispor.

Anónimo disse...

obrigado sr. dr. eng. anonimo!
Esqueci me das torrents, que se lixem os filmes na sala de cinema, que se dane o cinema tuga, temos blockbusters nao é? e... torrents.

ja sei que viu muitas entrevistas do botelho....
adoro planos longos, adoro gus van sant, lars, bela tarr, coppola
Mas o que gosto mesmo nos filmes tugas sao as "regras", os esteriotipos, a negritude que rasa a mediocridade: todos os filmes tugas têm que conter nudez explicita (mostrar seios é coisa de novela da TVI) bora la mostrar algo mais que isso; grandes planos "fixos" com cenas de sexo (por vezes dou por mim a pensar se nao saquei o filme do redtube por engano), mas gosto de ver, entao se for os "tetos" da soraia chaves ui nem se fala, mas se quiser ver o filme com malta mais jovem, nao dá dá muito jeito.. nao é? os temas sao mesmo animadores, e diferentes (estou a usar sarcasmo) o tema do incesto (uau que chocante, se houver umas criticas directas à religiao melhor ainda, adoro o choque)
o argumento? do melhor " fodasse caralho puta que pariu chulo de merda fodeu a cona da puta...." (é bom mostrar isto a crianças)
e as interpretaçoes? sao uma comedia lool (so se safou a rita blanco no "sangue do meu sangue", ate gostei muito do filme, 8,3 no imdb not bad not bad). Mas ouvir interpretaçoes à joaquim de almeida ou nicolau breyner é demais, um drama vira comedia logo!

um abraço daqueles ;)

My One Thousand Movies disse...

Até me custa ler estas coisas...
O cinema português é muito mais do que aquilo que vcs falam. Há grande cinema português, provavelmente maior do que o que público merece...
Já viram O Sangue? Os Mutantes? Noite Escura? Belarmino? Verdes Anos?
Pois...

Tiago Vitória disse...

Há aqui coisas que não parecem bem esclarecidas entre os dois anónimos que aqui comentaram.

Eu li este artigo do Jornal de Letras, Artes e Ideias por fazer parte dos alunos que estudam cinema a nível universitário neste país e por me sentir bastante intimidado com o estado das coisas. No entanto, há que reconhecer o esforço de dezenas de jovens que fazem (ou tentam fazer) muito com o pouco que têm ao dispôr. Tentam trazer algo de novo contornando as velhas regras e padrões de financiamentos inconsequentes (mas vitais) do estado.

Há cinema para lá daquele que foi referido. No entanto, há que reconhecer que nem todas as obras do Pedro Costa são imediatamente acessíveis ao público. Mas há situações, como a passagem no Cinema Passos Manuel (Porto) do último filme da Teressa Villaverde, "Cisne" com a presença da própria, à qual eu estive presente, onde se percebe o esforço dos realizadores em chegar ao público e quebrar barreiras estereotipadas como aquelas que foram escritas em cima de que o bom cinema português é aquele com planos longos e o mau é aquele com sexo explícito. Não é. Nunca serão estas as premissas para se assistir ao bom estado do cinema português.

É com apreensão que vejo o futuro do cinema em Portugal, tanto para aqueles que produzem como para aqueles que querem consumir.

Mas é de louvar e devia ser mais reconhecido o trabalho pessoal dos blogs do Vitor ou do Francisco que aqui também comentou. Blogs que frequento regularmente e que sao ferramentas para a dinamização do cinema (seja português ou não), e para a reflexão dos problemas como este que o Jornal apresenta.