quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Tesouros musicais nas velhas cassetes


Nos anos 80 e 90 coleccionei música como um louco fundamentalista. Trocava cassetes áudio (também conhecidas como k7) com amantes de música alternativa de todo o país (e do estrangeiro) e esperava ansiosamente que as novidades chegassem ao marco do correio. Tinha todas as cassetes devidamente numeradas e catalogadas num dossier próprio para o efeito e fazia uma capa diferente para cada uma. Coisa de fanático, mesmo.
Era um ritual poder abrir o envelope almofadado, colocar a cassete no leitor e desfrutar daqueles intensos momentos de descoberta de um artista ou de um grupo. Como não havia dinheiro para comprar todos os discos em vinil que gostava, eram as gravações em centenas de cassetes que me saciavam a gula musical.
Agora, as perto de mil cassetes estão arrumadas na prateleira da garagem, à espera que um dia (que dia?) me apeteça ir lá buscar uma, retire a poeira e espere que a fita ainda aguente o peso dos anos. Mas sei que muitas das cassetes já não aguentariam o peso do botão "play". A fita analógica tem o seu prazo de vida. Mas também sei que tenho autênticas preciosidades musicais guardadas nessas fitas magnéticas que, ainda hoje, não tenho todas em CD.
E que música tenho eu gravada nas velhinhas cassetes?

Apenas alguns exemplos:
Half Man Half Biscuit, Test Department, Red Lorry Yellow Lorry, Captain Beefheart, Devo, Philip Boa and the Voodoo Club, Death in June, The Triffids, Robert Ashley, George Crumb, Christian Death, Dissidenten, Front 242, Camper Van Beethoven, Beatnigs, Anne Clark, Dif Juz, 23 Skidoo, The Wolfgang Press, Asmus Tietchens, in The Nursery, SPK, And Also The Trees, The Band of Holy Joy, John Adams, Elliott Sharp, Butthole Surfers, Mick Karn, Minimal Compact, Hugo LArgo, Graeme Revell, Rapeman, Coil, Steven Brown, Felt, The Residents, Can, Holger Czukay, The Feelies, Art Zoyd, Miso Ensemble, Meredith Monk, Nurse With Wound, Laibach, Christian Marclay, Harold Budd, Robert Fripp, Lights in a Fat City, Jon Hassel, Somei Satoh, Cathy Berberian, La Monte Young, Henry Cow, Negativland, Clock DVA, Biota, Moroccan Trance Music, Demetrio Stratos, Sixth Comm, Z'Ev, Skinny Puppy, Milton Babbit, Clair Obscur, Swans, Virgin Prunes, Hector Zazou, Bill Frisell, Chalres Mingus, Holger Hiller, The Gun Club, Sol Invictus, Barry Adamson, Cranioclast, Lydia Lunch, O Yuki Conjugate, No Means No, Lou Harrison, Psychic TV, Muslimgauze, Foetus, Delerium, Non, Anarband, Andrew Poppy, David Fulton, Zoviet France, Wire, Elvis Costello, Tom Cora, Faust, Von Magnet, God, Ravi Shankar, Osso Exótico, Harry Partch, Pauline Oliveros, The Fall, Painkiller, Nicolas Collins, Peter Frohmader, David Sylvian, Kronos Quartet, Zap Mama, Jarboe, Sainkho, Jorge Reyes, Loop Guru, Carlos Zíngaro, Jane's Addiction, Ocaso Épico, Boyd Rice, FM Einheit, Alvin Lucier, Dinossaur Jr., Lush, Pengui Cafe Orchestra, Fred Frith, Pascal Comelade, Organum, Loop, The Hafler Trio, Cecil Taylor, Alan Stivell, Delerium, Tony Oxley, Pigface, Godflesh, Big Black, La Fura Dels Baus, Brian Eno, HIST, Arcace Device, Smegma, Fugazi, John Cage, Rollins Band, Yo La Tengo, John Cale, Masada, Scorn, Luciano Berio, Robert Rich, Pierre Boulez, Dead Kennedys, Telectu, Lard, Caspar Brotzman, XTC, etc, etc, etc, etc, etc, etc, etc, etc, etc.

8 comentários:

My One Thousand Movies disse...

Daqui a uns tempos, até os cd´s tens guardados na garagem, hehe.
É o progresso...

unitrapped disse...

Fabuloso!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Tantos nomes que havia "esquecido" na garagem da mente e que agora regressam! que vontade de re-ouvir-viver tanta dessa música!! Vou lá ver do que o UTUB é capaz. Será possível lá resgatar algumas dessas memórias-músicas-vidas passadas!??? Também amo música e, embora de forma desorganizada, lá fui colectando desde vinil, as k7s (ainda oiço e resistem ao "play"!!)e, claro, cds e dvds. Uma sugestão- podes sempre passar as k7s para cd!!! que tal??? já fiz isso a algumas. Enfim, coisas de atolambados :-)

Anónimo disse...

Amiable fill someone in on and this fill someone in on helped me alot in my college assignement. Say thank you you for your information.

j disse...

Descobri The Band of Holy Joy noa anos 80 e por mero acaso. Encontrei o mini-Lp The Big Ship Sails meio perdido numa loja de discos no Porto. Achei piada à capa do disco e depois de ouvir um bocadinho de cada faixa resolvi comprá-lo. Fiquei fã desta banda. Ainda tenho esse disco assim como tenho todos os meus vinis(e são alguns). Guardo-os com todo o carinho que merecem. As cassetes é que não ficaram. Foram-se estragando pelo caminho. Resta-me uma dos Negresse Verte que me foi oferecida por uma pessoa que conheci num albergue da juventude algures em França nos anos 70 e duas do Serge Gainsbourg que comprei em Paris na mesma altura. Boas recordações ;)

ruicarvalho disse...

Que bons velhos tempos...............a canalhada de hoje nem sabe o que isso representou para nós..........o que está dar é Lady Gaga,,,,,,,,,,e afins

Jorge Silva disse...

"...E que música tenho eu gravada nas velhinhas cassetes?..."

Tudo coisas boas.

E Nihil Aut Mors tens?

(provocaçãozinha)

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Jorge: tenho um monte de cassetes dos Nihil! Aliás, a maqueta "Super" foi masterizada e digitalizada.

Anónimo disse...

Hi! Someone in my Myspace group shared this site with us so I came to check it out.
I'm definitely enjoying the information. I'm book-marking and will be tweeting this
to my followers! Terrific blog and outstanding style and design.


Feel free to surf to my page :: ford ranger