domingo, 29 de agosto de 2010

A música de "The Ghost Writer"

Finalmente vi "The Ghost Writer" ("O Escritor Fantasma") de Roman Polanski. Mas hoje não me apetece falar do filme (um thriller competente sem deslumbrar). Apetece-me antes falar da música do filme. Finalmente vi uma película, nos últimos tempos, com uma excelente banda sonora. O compositor é francês - Alexandre Desplat - e já tinha dado mostras do seu talento em filmes como "The Curious Case of Benjamim Button", "The Queen" ou "Girl With a Pearl Earring" (foi nomeado ao Óscar por estes dois últimos títulos).
Em "The Ghost Writer", Alexandre Desplat compôs uma banda sonora que evoca o melhor da tradição dos thrillers clássicos de Hollywood, indo buscar inspiração a Bernard Herrmann, John Barry, George Delerue ou até Danny Elfman.
Polanski sempre atribuiu grande importância à música nos seus filmes, e esta constatação é patente desde os seus primeiros thrillers psicológicos dos anos 60. "The Ghost Writer" não é excepção e a música de Desplat motiva o crescendo de tensão com trechos musicais cirúrgicos que intensificam e dão significado a cada cena e a cada ambiente.
Uma música que não se sobrepõe à acção (pelo contrário, por vezes é tão ténue que quase não se dá por ela), uma música que inspira inquietude, deslumbre e imaginação.

5 comentários:

Flávio Gonçalves disse...

Também reparei muito na banda sonora do filme. Achei curiosa a sua semelhança com a do Rosemary's Baby, aquele estilo frenético, atípico mas elegante, conheces?

Rui Resende disse...

"Polanski sempre atribuiu grande importância à música nos seus filmes"

tão verdade que um deles, Death and the Maiden, vai buscar o título e o Mcguffin directamente a Schubert.

Tweeter disse...

Subscrevo, estamos perante um expert em bandas sonoras. Já antes nos tinha deslumbrado.

Cumptos.

DiogoF. disse...

concordo, também gostei muito

Manuela Coelho disse...

A banda sonora do filme é de facto muito boa, confere uma intensidade dramática às cenas, bem ao jeito de Polanski.