sábado, 30 de julho de 2011

Remake inútil

Juro que não percebo a obsessão de Hollywood em fazer remakes de filmes clássicos e de culto. É o sintoma definitivo do esgotamento de ideias da indústria cinematográfica norte-americana: à falta de argumentos arrojados e inovadores, capazes de mobilizar novos espectadores às salas de cinema, os produtores preferem investir na reconstituição moderna de filmes que outrora foram marcantes. Para quê? É a pergunta a que ninguém consegue responder...

Nos últimos tempos as notícias de remakes são sucessivas e imparáveis. Ainda há dias lia acerca do remake de "The Thing" de John Carpenter e agora deparei-me, ao ler a revista Total Film, do remake do espantoso clássico do mestre Sam Peckinpah, "Straw Dogs" ("Cães de Palha"). Vi o trailer e fiquei a pensar quão inútil e desnecessário deve ser este filme realizado por um tal Rob Lurie. Qual o objectivo deste remake quando o original é tão bom? Pelo que vi e li, só mudam praticamente os actores, a história mantém-se idêntica, e há até planos iguais aos do filme de Peckinpah. Até o cartaz é igual ao protagonizado por Dustin Hoffman! Enfim, dinheiro e tempo desperdiçados.

Estou em crer que, por este andar, ainda veremos infames remakes de obras como "Citizen Kane" ou "O Couraçado Potemkine"...

Sobre "Straw Dogs" (o meu Peckinpah preferido) já tinha escrito este post.

10 comentários:

Álvaro Martins disse...

O The Thing do Carpenter já é ele próprio um remake dum filme de 51 chamado The Thing from Another World dum Christian Nyby e do Hawks (embora este não seja creditado).

Rato disse...

Toda a razão, caro Álvaro. Só que o Carpenter reinventou completamente o filme, criando uma obra bastante superior, que se tornou rapidamente um clássico. E que não cansa ver, por muitas vezes que já se tenha visto o filme.
O que não me parece ser o caso das remakes que se fazem por aí a torto e a direito. Seria interessantissimo que por cada remake actual os exibidores lançassem sessões duplas com o original também incluído. Talvez assim as novas gerações entendessem porque estão a ser tão enganadas...

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Bem visto, Rato.

Sam disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sam disse...

Inútil é quase elogio. Ocorrem-me dois ou três "impropérios" mais adequados a este remake...

My One Thousand Movies disse...

Até este filme do Planeta dos Macacos é um remake do terceiro filme da série.
Dão-se ao luxo de fazer remakes de maus filmes.

Rato disse...

Julgo que não, Chico. Tanto quanto sei, o filme a estrear não é qualquer remake mas sim uma espécie de "prólogo" à série. Ou seja, deverá "explicar" como é que a civilização dos símios teve o seu início. No terceiro filme da série (que mesmo assim ainda mantém algum interesse - não é tão fraco como os dois posteriores) a história é a do regresso do casal dos macacos cientistas a um tempo anterior (o do lançamento da nave original), onde os humanos ainda mantêm o poder na Terra.
Resta saber agora é a qualidade deste novissimo filme. Mas com toda a actual tecnologia de efeitos digitais é de se esperar o pior...

My One Thousand Movies disse...

Seja como for Rato, vão pegar num assunto que já foi explorado, e da pior maneira, até à exaustão, por isso não dou muito por ele...

My One Thousand Movies disse...

Seja como for Rato, vão pegar num assunto que já foi explorado, e da pior maneira, até à exaustão, por isso não dou muito por ele...

Anónimo disse...

Dinheiro em movimento não é inútil...