sexta-feira, 18 de junho de 2010

O filme mais negro de Hitchcock... nunca feito


Alfred Hitchcock realizou, ao longo da sua carreira, cerca de 50 filmes. Mas tinha intenção de realizar muitos outros, que não passaram da pré-produção ou, até, do argumento.
Dentro desta considerável lista de filmes nunca concretizados há um título muito especial: "Kaleidoscope".
Hitchcock quis um dia realizar o seu filme mais negro e violento de sempre, de tal forma que "Psycho" pareceria uma produção da Disney.
Corria o ano de 1971. O mestre do suspense já tinha deixado ao mundo todas as suas obras-primas, mas faltava-lhe fazer "Kaleidoscope", um filme que retratava a vida de um "serial killer" e violador. O próprio Hitchcock, amante do humor negro e dos recantos violentos da mente humana, achava que poderia ser um filme demasiado violento e perturbador para o grande público. "Kaleidoscope" seria um filme brutal com vários assassinatos filmados de forma inovadora (e com luz natural) - o actor Michael Caine interpretaria o papel do terrível assassino.
No entanto, "Kaleidoscope" nunca viu a luz do dia. O argumento estava escrito (mostrou-o a François Truffaut que gostou, mas aconselhou Hitch a ser comedido com o grau de violência e sexo), a pré-produção chegou a estar em marcha, mas os estúdios de cinema que iriam financiar o filme - MCA Studios - abortaram o projecto. Razão? O argumento demasiado repulsivo e violento. E assim se perdeu, porventura, uma portentosa obra de Alfred Hitchcock, uma viagem aos abismos mais negros de uma mente psicótica, num filme extremo como o próprio Hitchcock nunca tinha feito.
Agora pergunto-me qual seria o realizador contemporâneo cmais indicado para adaptar ao grande ecrã este argumento tão visceral. David Cronenberg? Quentin Tarantino?

9 comentários:

Anónimo disse...

David Lynch?

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Sim, Lynch faria sentido.

Álvaro Martins disse...

Exacto, Lynch. Ou então Von Trier.

Neuroticon disse...

Gaspar Noé.

F disse...

ou David Fincher...

My One Thousand Movies disse...

Para mim seria o Abel Ferrara.

Francisco Maia disse...

depois do Anticristo, o meu voto também vai para Von Trier

ArmPauloFerreira disse...

O realizador do Oldboy, o Park Chan-wook e o Lars Von Trier também levaria a bom porto esse filme apesar de o achar demasiado frio para estar á altura de Hitchcock. Os Cohen também o saberiam honrar e deixariam um bom travo de clássico.

fernanda eugénia disse...

e o cronenberg?