sábado, 15 de maio de 2010

Woody Allen e a ditadura


Até parece que o realizador Woody Allen ouviu uma célebre declaração da então presidente do PSD, Manuela Ferreira Leite, quando esta disse que gostava que se suspendesse em Portugal a democracia durante 6 meses para implementar uma ditadura, de forma a levar a cabo uma série de medidas para desenvolver o país.
É que Woody Allen fez uma declaração, no festival de Cannes, muito parecida com a de Manuela Ferreira Leite: "Acho que seria bom para Barack Obama que houvesse uma ditadura durante uns quantos anos na América, para poder fazer uma grande quantidade de coisas boas rapidamente".
Só faço um comentário: nunca pensei que Woody Allen pudesse proferir uma opinião deste teor, e nem acho que tenha havido alguma conotação irónica ou cómica (como é habitual em Woody) nesta afirmação...
(Ah, Woody Allen disse outra coisa importante: que não lhe interessa filmar em 3D, porque o 3D só faz sentido se for para filmar qualquer coisa da Playboy!).

3 comentários:

Back Room disse...

Não consigo entender as pessoas que dizem isto em público, mesmo que concorde com as ideias que defendem. É que acho que nem eles apoiariam isso. Que irresponsabilidade.

Neuroticon disse...

Foi um sinal claro de concordancia e esperança na governação Obama.
Não vejo onde está o mal da declaração!
Se o homem já compôs tanta coisa num ano, deixem-no continuar...

João Palhares disse...

Também não vejo o mal da declaração, não me parece que ele queira uma ditadura para a América como não me parece que quisesse invadir a Polónia quando ouvia Wagner, eheheh. Os políticos não podem ser irónicos nem cínicos, portanto é deixar os artistas sê-lo...