terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Perguntas indiscretas - 19

Há filmes que são tão medíocres (pelos motivos mais diferentes), que apetece deixar de os ver ao cabo de 20 minutos. A pergunta é: o espectador deve sair da sala caso se sinta defraudado com o filme ou deverá manter-se até ao final da sessão por respeito aos outros espectadores (e para que possa dizer aos amigos: "O filme é mesmo mau, mas vi-o, estoicamente, até ao fim!"?

17 comentários:

rui disse...

Eu já sai várias vezes a meio... (não percebi essa do 'por respeito aos outros espectadores')

pedro polonio disse...

deve sair... o tempo é um bem escasso para ser desperdiçado com filmes medíocres.

Valter disse...

O filme tem que ser demasiado mau, um insulto para os olhos para me fazer sair da sala...
Mas partindo do principio que conheço alguma coisa do filme, caso contrário não ia a perder o meu tempo e dinheiro a ver um filme que a partida não tinha grandes espectativas...

João Lisboa disse...

Até hoje, só aconteceu 2 ou 3 vezes.

rui resende disse...

por minha parte, nunca saí de um filme a meio, e tenciono não o fazer nunca, por muito mau que o filme possa ser. por dois motivos.

1, acredito q todos os filmes podem ter algum ponto de interesse, nem q seja mesmo no final, como aliás já aconteceu, e também acredito que não posso considerar que vi um filme se o abandonei a meio.

2, por respeito, não aos espectadores, mas a quem fez o filme, que em muito boa parte das vezes tem pelo menos algumas pessoas que dedicaram muito carinho e tempo das suas vidas (muito mais do que as 2 horas do filme) para que o filme ficasse completo, e se decidi ir vê-lo, acho que essas pessoas merecem que se veja até ao fim, mesmo que no final a experiência não compense.

Pi disse...

mesmo quando vejo em casa tento levar a coisa para a brincadeira e gozar com as sucessivas cenas idiotas.... mas não levo minimamente a mal se as pessoas ao lado se levantarem!

mil vezes os que se levantam do que os que ficam a incomodar. já me aconteceu num filme do woody allen, de quem sou incontestável fã (mesmo dos menos bons :)), as pessoas ao lado estarem a gozar... por favor vão embora!!

já os livros, recuso me a ler um livro de que não esteja a gostar :) concordo que há demasiados livros bons para perdermos tempo dessa forma ;)

mas isto já não é o assunto do post :)

CP disse...

Sou a favor do sair. Gostava de ser adepto do exigir o dinheiro de volta. Acho que um dia serei adepto dessa modalidade. Há filmes que bem o merecem.

MrCosmos disse...

Essa dúvida só me assolou uma vez na vida até hoje, quando não fui cauteloso o suficiente para me inteirar à prior, e deparo-me com um "documentário" de Al Gore na tela, quando um rápido lamiré do trailer pela web me havia vendido uma alta produção à Americana...

Obviamente, saí.
Ah, e apeteceu-me de facto pedir a restituição do valor do bilhete....
É que poucas vezes me senti assim tão enganado.

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Bem, eu nunca saí ostensivamente, mas já me deu vontade por diversas vezes (faltou-me a coragem). Lembro-me de uma vez que ia ver um filme interessante (já não me recordo qual) e já estava na sala quando me apercebo que o filme projectado nessa sessão era... "Libertem Willy 2"! O cinema tinha mudado o filme sem aviso e eu não reparei. Mesmo assim, fiquei até ao fim a ver a saga da baleia Willy. Eu julgo que, mesmo com filmes maus, se deve ficar até ao fim, nem que seja para ter argumentos válidos (pela experiência do visionamento) para criticar esse mesmo filme.

O que já fiz foi levantar-me do lugar por estar a ser incomodado por outros espectadores - ou por causa de comentários em voz alta de adolescentes idiotas ou com o ruído estaladiço da pipoca. Tive esta atitude, por exemplo, quando vi "De Olhos Bem Fechados" do Kubrick.

Flávio Gonçalves disse...

Eu penso que nunca se deve sair - só se for absolutamente preciso, ou para ir à casa de banho ou para nos queixarmos do burburinho incomodativo dos outros espectadores. Penso que todos os filmes têm o seu valor e, mesmo que nada valham na nossa perspectiva, só deles poderemos tecer um julgamento totalmente fundamentado e legítimo se o virmos até o fim. Assim é - neste ponto, sou muito exigente comigo mesmo. Concordo, pois, em absoluto com o Rui Resende.

Abraços!

Gonçalo Trindade disse...

Também concordo com o Rui Resende. Um filme deve sempre ser visto até ao final, nunca se sabe se mais a meio ganha um novo interesse.

PortoMaravilha disse...

Olá !

Não há gozo sem sofrimento !

Claro que um filme, um livro devem ser vistos e lidos até ao fim !

Caso contrário, suponho , no âmbito da literatura, que grandes obras catalogadas "policiais","de amor " , de ficção" e etc, não teriam nem pés nem cabeça. Oups : Esqueci a Bd !

Aniki-bobo, filme de Manoel de Oliveira, precursor do não neo realismo, entre aspas, no cinema, sem o final seria incompreensivel.

Intão : Filme a preto e branco bem chatinho , etc , etc.

Mas se não o vemos na totalidade não entendemos o que é ( para mim ) uma obra prima do cinema !

MrCosmos : Melhor ver Al Gore que uma americanada. Embora o homem defenda o nuclear.

Quando GreenPeace tiver a possibilidade de fazer um filme, eu convido-te.

Nuno

ritha, a fine young girl who keeps spinning around disse...

Estou com o Rui Resende e vários outros. Um filme deve sempre ser visto do inicio ao fim, aprende-se sempre alguma coisa, nem que seja o que não voltar a fazer, ou ver, neste caso. Verdade seja dita que já me apeteceu sair, especialmente num.

Rui Herbon disse...

Só em último caso. Um bocadinho de estoicismo é sempre bom nos tempos que correm.

sem-se-ver disse...

já saí de tantos... um houve que foi ao fim de 3 minutos: já tinha visto tudo o que havia para ver.

e tal era a desgraça, que nem lembro título ou autor - sei só que eram, ambos, de suposta 'referência'.

(dá-me a sensação que me avi acontecer exactamente isto qd tiver o anti-cristo à frente)

Anónimo disse...

Não me parece que alguma vez vá sair de um filme a meio...

Para dizer que vi o filme vejo-o até ao fim...

Rato disse...

Se estiver sózinho saio com certeza.
Se estiver (bem) acompanhado o melhor é ignorar o écran...