segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Um canibal na capa


O que nos pode dizer uma capa de uma revista de música? Muito e pouco. Neste caso, a edição de Março da BLITZ, diz-nos tudo. Ou não estivesse em grande destaque o maior ícone (meço as palavras) do rock nacional alternativo - já não sei muito bem o que isto quer dizer - dos últimos 25 anos: Adolfo Luxúria Canibal, líder e vocalista dos Mão Morta. Uma entrevista de fundo ao sr. Canibal já vale os 2,50€ da revista.
E verdade seja dita: é mesmo uma capa extraordinária.

6 comentários:

Anónimo disse...

mais uma posta à João Lopes dos Pequeninos!!

PS: Quem ainda lê o Blitz...?

CINECLUBE01 disse...

Gostei muito do blog. Podemos fazer uma parceria se quiser
http://cineclube01.blogspot.com/

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

O que é uma "posta à João Lopes dos Pequeninos?"

PS - Eu leio a Blitz (quando acho que vale a pena).
Só não sei inglês para ler a Wire (que o anónimo, certamente, lê).

Carlos Lopes disse...

Eu leio a Blitz e não me envergonho. Compro-a todos os meses, mas nem sempre a leio, de facto. Um ou outro artigo, e pouco mais. Mas gosto de a comprar. Gostava que fosse melhor, que não fosse tão mainstream, é claro. Mas é o que temos e isso já é coisa boa. Ultimamente a Blitz tem feito um grande esforço (nas capas, nos conteúdos) para melhorar. Viva a Blitz.

Helena Teixeira disse...

Bem,quando ao líder dos Mão Morta,concordo que é um figurão,alguém deverás interessante.Quanto à música,aprecio alguma,nem todas.
Mas a capa está original,está.Um pouco ao estilo série Dexter :p
Se a Blitz continuar o esforço,valerá a pena.

Abraço
Lena

Aproveito e deixo um convite: participe na Blogagem de Março do blogue www.aldeiadaminhavida.blogspot.com. O tema é: “Onde cresceu o meu Pai”. Basta enviar um texto máximo 25 linhas e 1 foto para aminhaldeia@sapo.pt (+ título e link do respectivo blog) até dia 8 de Março. Participe. Haverá boa convivência e possíveis prémios (veja mais no dia 28/02 no blog da Aldeia)!

jp, le miserable disse...

creio que é talvez a segunda melhor revista, se não a melhor mesmo, desde que compro. e na outra havia tambem uma entrevista ao Adolfo Luxúria...

cumps