quarta-feira, 22 de setembro de 2010

As 127 horas de agonia de Aron Ralston


Aron Ralston é um alpinista que ficou famoso, em 2003, por ter ficado preso 5 dias numa rocha no deserto do Utah, após uma aparatosa queda. Mas não foi apenas por isso que ficou famoso: impedido de escapar por causa de um braço preso numa rocha (na imagem), Aron Alston tomou a mais inimaginável e duras das decisões: auto-decepou o seu próprio braço para se libertar (processo que demorou uma longa e agonizante hora). Assim conseguiu sobreviver e contar a história para o mundo. Agora este incrível instinto pela sobrevivência em situação limite foi transposto para cinema através do realizador Danny Boyle. O filme chama-se "127 Hours" - o número de horas que o malogrado alpinista esteve preso.
O filme só estreia em Novembro nos EUA, mas já foi exibido no Festival de Cinema de Toronto. As reacções não podiam ser mais brutais devido à crueza das imagens da amputação. Segundo rezam as crónicas de quem viu, houve vários desmaios e ataques de nervosismo na sala, tendo havido a necessidade da intervenção de serviços médicos de urgência. O tremendo realismo revelado nas imagens da amputação e a intensa situação emocional daí resultante, levaram a muitas reacções imprevisíveis (a cena em que Aron corta o braço é mostrada ao pormenor e demoradamente).
O actor que interpreta Aron Ralston é James Franco e, devido à sua entrega neste projecto, muitos dizem ser já um candidato aos próximos Óscares.
Eis o trailer do novo filme de Danny Boyle (não, não mostra nenhuma cena da amputação):


5 comentários:

Anónimo disse...

essa do "muitos dizem ser já um candidato aos próximos Óscares.
" já cansa...

Ruca! disse...

depois do 28 days later e o millions, mais um filme de boyle com um número no titulo.
espero que valha mais que o choque causado pelo realismo dessa cena da amputação.

pedroguerra disse...

A propósito do último filme de Eastwood, o que João Lopes salienta é... que pode ser candidato ao Oscar!
Parece-me que este blog é o melhor exemplo da influência inviesada que JL exerce sobre uma certa blogosfera. Um apena.

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Pedro Guerra: também é uma pena que haja comentários precipitados como foi esse. Acredite quem quiser, mas a verdade é que eu nem sequer li ainda o que o JL escreveu sobre o filme de Boyle. Depois, essa referência ao Óscar li-a num site espanhol sobre cinema (que foi onde li pela primeira vez a história do filme) - http://www.20minutos.es/noticia/821025/0/127/horas/desmayos/

E quase aposto que o meu post foi anterior ao do JL. Também ainda não percebi porque é que se fazem tantas comparaçõoes - depreciativas - entre este blog e o do JL (e Nuno Galopim). Dá a ideia que tenho algum tipo de fixação no JL quando se passam dias e dias sem visitar o seu blog nem reconheço nele uma influência directa no tipo de escrita sobre os temas aqui abordados. Mas ok...

Guakjas disse...

Já saiu na net mas sem legendas: http://www.fileserve.com/file/QhbzN6p

Estou ansioso