terça-feira, 28 de setembro de 2010

A morte de uma montadora


Se há especialidade técnica (e artística, diga-se) na qual as mulheres tiveram um papel preponderante no cinema, essa especialdiade é a da montagem. O que seria do cinema de Martin Scorsese sem o fabuloso trabalho da montadora Thelma Schoonmaker?
O realizador Quentin Tarantino também trabalhou toda a carreira com a mesma montadora (e amiga), Sally Menke, desde "Cães Danados" (1992) até "Inglorious Basterds". E qualquer cinéfilo sabe como o cinema de Tarantino se expressa pela riqueza da montagem, pela forma como os planos se interligam e constroem uma narrativa, um ritmo e uma linguagem visual.
Sally Menke ganhou vários prémios e foi diversas vezes nomeada para os Óscares e os BAFTA. No entanto, Tarantino não poderá mais contar com o seu trabalho. Sally Menke morreu hoje em Los Angeles, no meio da rua, aparentemente sem sinais de violência. Sem dúvida, uma grande revés, pessoal e profissional, para a vida e carreira de Quentin Tarantino.

3 comentários:

vasco disse...

:O

Luís A. disse...

Tarantino acaba de perder parte do seu talento

Dezito disse...

Blog interessante :)

Visite
http://febre7arte.blogspot.com/

onde recordará grandes clássicos

Abç