segunda-feira, 11 de abril de 2011

Sem tempo

- Sem tempo para ver a filmografia completa de Renoir, Fassbinder ou Lang.
- Sem tempo para ler tudo do Philip Roth, Don DeLillo ou Comarc McCarthy.
- Sem tempo para ouvir tudo do Frank Zappa, Messiaen ou The Residents.
- Sem tempo para escrever sobre tudo o que gostaria.
- Sem tempo para ir à sala de cinema ver o cinema que gostaria.
- Sem tempo para ler as revistas e jornais da especialidade (música e cinema).
- Sem tempo para ter tempo.

8 comentários:

Anónimo disse...

Johnny Guitar:


"Não há tempo para quem no tempo não faz nada"

Caro Victor,
desde que tenha tempo para nos escrever aqui no seu blogue, acredite, que já é tempo muito bem gasto/ aproveitado.


Cumprimentos

pedro polonio disse...

& tempo para ir ver Diamanda Galás?

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Obrigado Johnny Guitar.

Pedro: para ver a Diamanda tinha de arranjar tempo ;)

pedro polonio disse...

& como foi concerto?... este sábado vou até leiria para a rever.
=:-)

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Eu até ia outra vez a Leiria para volta a sentir a intensidade que senti no concerto da Guarda. Foi fabuloso. E não me refiro apenas à voz tão especial, é também a forma como toca piano, como dispara as frases das canções, o modo como se entrega emocionalmente à música. Fez versões incríveis de canções do Brel e da Piaf. Teve momentos de puro génio, e quase no território da canção dita convencional (algo impensável há uns anos na carreira dela).

Vais tirar fotos? ;)

Vasco disse...

"gosto disto"

F disse...

"O tempo é uma ilusão que nos tira o fôlego"

pedro polonio disse...

vou ver (ou será sentir?), se não for proibido fotografar, vou tentar tirar uns retratos.