quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

A corte improvável

É comum haver traduções mal feitas (geralmente, traduções literais) nos filmes, seja em DVD, no cinema ou em séries de televisão. Mas a que assisti ontem foi a mais hilariante dos últimos tempos: na sequência do tribunal do filme "Inimigos Públicos" de Michael Mann, sempre que um advogado falava sobre o tribunal ("Court"), a tradução da legenda era... "Corte"! Do género: "Queria pedir à "corte" um pedido de adiamento...". Só faltou trocar Lawyers por reis e ficava a corte completa!

5 comentários:

Liliana disse...

Hahaha! Já me deparei com "belos" exemplares também. Nada como ir ao cinema ou comprar os DVDs originais: as legendas são decentes e não se violam direitos de autor. :)

Aproveito para desejar bom Natal!

Cintia Carvalho disse...

Oi!

Passei aqui para lhe desejar um feliz e alegre natal!!!

Aproveitei tb para ler alguns de seus textos e dois em especial me chamaram a atenção.
O primeiro fala do filme "Meu tio" de Jacques Tati. Eu o vi uma única vez quando tinha 19 anos (em 1995), lembro que gostei muito da história. Hj gostaria de reve-lo para poder compreender melhor a idéia de Tati. Agora, o que me parece do que me lembro foi a crítica que ele fez a forma como a tecnologia afetava a vida das pessoas de modo negativo. A figura do tio do menininho simboliza isso. Um homem simples que cultiva hábitos comuns. No oposto sua família que cada vez mais conforme a tecnologia chega sua família se distancia, se tornam estranhos. Mundo novo oposto ao mundo antigo. Daí o apego dele ao tio. Muito bonita a forma como Tati aborda esta questão. Quais são os verdadeiros valores que uma sociedade deve cultivar? são algumas das refle~xões que ele deixa e que embora passados 50 anos, como vc bem disse, são tão atuais. Vivemos em uma sociedade tecnologicamente tão avançada. No entanto, em relação aos valores humanos estamos regredindo e andando para trás. Não estamos conseguindo aproveitar o lado bom de tantas mudanças. Bem, melhor parar por aqui senão vou falar muito.

Li tb seu texto sobre o filme "Mary and Max" e adorei o tema. Gosto muito de história deste tipo. Vou procurar por aqui na minha terra para ver se encontro. Infelizmente, não tenho baixar o filme no meu pc.

Um beijinho carinhoso.

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Cintia: é muito fácil baixar o filme "Mary and Max" - basta carregar no link "filme" no fim do meu post e fazer o download respectivo (filme e legendas). De qualquer modo, creio ter visto sites brasileiros com o filme.

Um Bom Natal!

Rui Herbon disse...

É caso para perguntar de onde saem estes tradutores. Porque há coisas que são inadmissíveis. Outras há, mais correntes, que derivam da falta de cultura geral do tradutor, e do equívoco que em geral enferma a tradução: ao tradutor basta-lhe ser bom na língua origem (o suficiente para entender o sentido), mas terá que ser excelente na língua destino. Ou seja, para traduzir de inglês para português, basta ser bom em inglês, mas tem que se ser muito bom ou excelente em português. Na maior parte dos casos passa-se o inverso. Ou nem isso.

Ritinha disse...

Os tradutores devem ter andado a sacar séries em sites zukas. =|