quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

A nova directora


“Maria João Seixas não é um nome consensual” para nova directora da Cinemateca Portuguesa, noticia o jornal Público. Não admira. Em Portugal, sobretudo para cargos de índole cultural, nunca há nomes consensuais. O que há sempre é controvérsia (o que pode ser bom ou mau). Por entre vozes de aprovação (Paulo Branco) e de condenação (Vasco Pulido Valente), estou em crer que Maria João Seixas é uma escolha de grande credibilidade cultural e intelectual. Sempre foi uma admiradora do trabalho do anterior director, João Bénard da Costa, pelo que dificilmente seguirá uma linha muito diferente. E também é uma boa notícia o facto de Pedro Mexia se manter como subdirector daquela importante insitutição cultural. Longa vida à Cinemateca, portanto.

2 comentários:

O Projeccionista disse...

Se é uma boa escolha ou não o tempo o dirá. Esperemos que sim, para bem do Cinema e de quem gosta de o ver em sala. E a da Barata Salgueiro é uma grande sala.
Substituir João Bénard da Costa será muito difícil, senão mesmo impossível devido à figura que foi e pelo que fez na divulgação da Sétima Arte em Portugal.
Agora é triste ver já críticas ao trabalho da senhora quando ainda nem sequer foi nomeada.
Pela minha parte e até prova em contrário, é bem-vinda.

Luis Baptista disse...

Parece-me que a qualidade estará presente.