segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Pessoa digital


Nunca consegui ler até ao fim o monumental e inesgotável “Livro do Desassossego” de Fernando Pessoa (por falta de tempo, não por falta de interesse), quanto a mim, uma das obras maiores da literatura portuguesa.
Agora com a notícia de que o espólio integral do escritor e poeta vai estar disponível online em 2010 (através da Biblioteca Nacional Digital), abrem-se portas globais de acesso à obra pessoana. O fenómeno dos livros electrónicos veio para ficar e é um sintoma claro da era digital em que vivemos. É preferível ler Pessoa em suporte digital do que não ler de todo (sobretudo para as novas gerações). E quem sabe se quando estiver online o espólio de Fernando Pessoa me motive a acabar de ler o “Livro do Desassossego”…

9 comentários:

Neuroticon disse...

Também nunca li, apesar de diversas recomendaçoes...
O Eraserhead deu lugar ao Andrey Rubliov?

Victor Afonso disse...

"O Eraserhead deu lugar ao Andrey Rubliov?"

Yep ;)

Liliana disse...

Foi o meu livro de cabeceira durante muito tempo. Li-o todo, mas demorou-me bastante tempo, pois não é fácil de "digerir". É, sem dúvida, uma das obras maiores da literatura e Pessoa é um Mestre.

Roberto F. A. Simões disse...

O LIVRO DO DESASSOSSEGO é, incontornavelmente, um dos livros da minha vida. Pessoa no seu melhor.

À primeira vez, devorei-o em 2 ou 3 noites. Desde aí frequento-o periodicamente. Tem fragmentos memoráveis e inesgotáveis.

Cumps.
Roberto Simões
CINEROAD - A Estrada do Cinema

Paulo Assim disse...

Pessoalmente, não acredito no livro digital. Podem vender-se, é verdade; em Espanha, por exemplo, vendem-se duas ou três centenas de e-books por mês, mas, por ser uma questão de moda, não acredito que alguém consiga ler até ao fim um Cervantes ou um García Márquez dessa maneira.
Não, não acredito. E não aposto.

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

O livro digital tem mais futuro do que se pensa - basta dizer que o último livro do Dan Brown na Amazon vendeu mais exemplares em e-book do que em livro de papel tradicional!

Já agora, um post meu sobre o assunto - http://ohomemquesabiademasiado.blogspot.com/2008/10/livro-futuro-incerto.html

MrCosmos disse...

Aqui está uma excelente bo nova!
Irei manter-me atento a publicação online. Obrigado pela informação.
Mencionava à dias, Pessoa é o segundo grande nome literário, a par com camões, a publicação digital tem tudo para ser um sucesso.

PortoMaravilha disse...

Sim, penso que o e-livro tem grande futuro.

Tanto mais que poderemos continuar a ler deitados com o e-livro. Bastará só descarregar do computador para o e-livro. Kundara tinha bem razão : A melhor posição para ler é deitado.

Todavia, a sensação papel ficará como ficou o a sensação pergaminho quanto ao livro. Isto quanto a mim.

Mas não estou aqui para tratar de assuntos levianos ( Rock and lol ) .

O livro do desassossego é sem dúvida uma das maiores obras do século XX. Tive a sorte de o ver encenado como peça de teatro. Duas vezes por autores diferentes.

Penso que pode ser lido e deve ser lido como fragmentos de pensamento ( no sentido nobre da palavra ). É pois um livro de cabeceira ou de metrô ...

Para a pequena história : O livro do desassossego foi traduzido em França , primeiramente, com o título : Le Livre de l'Inquietude.

Françoise Laye retomará a tradução com o título "Le livre de l'intranquillité " . Este neologismo foi integrado nos dicionários Franceses. O que é fantástico ! Com efeito, F Laye pensava que "inquietude" não dava dimensão à palavra desassossego.

Isto pode dar um pouco a entender a noção da projecão universal que tem Pessoa.

E Viva o Porto !

Luis Baptista disse...

Tbém não me seduz minimamente essa opção, não vou aderir, ninguém me tira o belo livro, o seu cheiro, o desfolhar das folhas e todo o prazer. Não quero e não recomendo a ninguém que conheço,a juventude já é demasiado iletrada e isto s´abre caminho, para que determinados valores, não só educativos e de conhecimento, se percam por aí.