quarta-feira, 15 de julho de 2009

É só um filme (de Hitchcock)


A biografia de Alfred Hitchcock - "É Só Um Filme" - já foi lançada no mercado português há dois anos, mas só agora comecei a lê-la e logo com uma certa sofreguidão. A biógrafa, Charlotte Chandler (também escreveu as biografias de Groucho Marx, Federico Fellini, Billy Wilder, Bette Davis e Joan Crawford) privou com o realizador durante muitos anos e conheceu-o melhor do que ninguém. O livro é riquíssimo em pormenores sobre a vida pessoal de Hitchcock, as suas obsessões, as suas relações com os actores e colegas de profissão, a sua visão do mundo e da arte, o seu especial sentido de humor negro. Irresistível e compulsiva leitura.

5 comentários:

rui g disse...

Também tenho o livro entre mãos e estou a segui-lo com imenso interesse. E estou totalmente de acordo com o sentido do pequeno texto do Victor. Um abraço.

Anagrama Orgânico disse...

Também tenho, comprei-o agora com a redução para 7,5€. É bom, mas o que ela escreveu sobre o Groucho, é melhor.

Nothingman disse...

Eu comprei-o por um excelente preço na feira do livro. 5€. :P

Já o li e gostei.

António disse...

Li o livro há mais de 2 anos - reparei que diz que saiu há dois anos no mercado português mas, desculpe a correcção, já havia à venda há mais tempo...
Tem reduzido valor enquanto texto biográfico, ou enquanto pretende sê-lo. No entanto, e como se diz no post, o livro é muito rico em pormenores da vida pessoal e profissional do realizador, bem como de peripécias relacionadas com cada um dos seus filmes. Aliás, a dada altura, ameaça tornar-se uma acta de acontecimentos relevantes e curiosidades que envolveram os mesmos.
Seja como for, não é demais voltar a salientar o conjunto de informações dado, que nos permite um curioso retrato psicológico do génio.
Pergunto ao Victor Afonso se leu a entrevista de Hitchcock a François Truffaut e o trabalho de Donald Spoto: ainda a principal biografia sobre o mestre. Fica a recomendação para os interessados.
Parabéns por um trabalho muito interessante com o blog.

Victor Afonso disse...

Caro António: obrigado pelo contributo. Efectivamente, o livro que tenho da biografia de Hitchcock, da editora Bizâncio, tem edição de 2006. Ou seja, eu disse que tinha saído há dois anos, mas foi há três. Conheço razoavelmente bem a série de entrevistas que Truffaut fez ao realizador inglês. E digo razoavelmente porque nunca consegui comprar numa edição do livro. Aliás, estive este verão numa livraria de Madrid exclusivamente dedicada ao cinema e perguntei sobre esse livro e estava esgotado – ver aqui - http://ohomemquesabiademasiado.blogspot.com/2009/08/madrid-me-mata-2.html

Já a biografia de Donald Spoto conheço só de nome.