quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Que grande ano literário...

Que grande ano literário seria 2011 se surgirem edições de novos livros de Oliver Sacks, Sam Harris, Bret Easton Ellis, Paul Auster, Martin Amis, Antonio Tabuchi, Slavoj Zizek, Alex Ross, Günter Grass, Richard Dawkins, Ian Kershaw, Philip Roth, Comarc McCarthy, Denis Johnson, Jonathan Littell, Julio Cortázar, Kjell Askildsen, Chuck Palahniuk, Gilles Lipovetsky, Cristopher Hitchens, Jonah Lherer, Orhan Pamuk, Imre Kertész, Francis Fukuyama, Umberto Eco, Bill Bryson, J.M. Coetzee, Bernard-Henri Levy, Le Clézio, Pedro Mexia, Eduardo Lourenço, Maria Filomena Mónica, António Barreto ou José Gil.
Era bom, não?

4 comentários:

Pedro Mexia disse...

Há novo livro de Pedro Mexia em 2011, mas certamente também teremos livros novos de bons autores.

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Hipótese A:
Se o comentário for do Pedro Mexia "himself", tem montes de piada.
Hipótese B:
Se o comentário é de um "anónimo venenoso", tem apenas alguma piada da qual não partilho o riso.

Pedro Mexia disse...

As himself as can be

Sam disse...

Aqui, tenho a certeza que há autores em descanso... :)