quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Joaquin Phoenix - o enigma


Ainda a propósito do recente filme "Two Lovers" de James Gray, considerado por muita gente um dos mais interessantes melodramas dos últimos anos, é sabido que foi a última participação no cinema de Joaquin Phoenix, o protagonista do filme. Pelo menos é o que o actor tem, repetidamente, dito nos últimos tempos. A verdade é que Hollywood (e não só) está perplexa com a transformação física e de personalidade de Phoenix. Desde que surgiu de barba, cabelo comprido e óculos escuros, o jovem actor não diz coisa com coisa. É certo que esteve internado há três anos devido ao excesso de consumo de álcool. Agora há quem afirme que se afundou novamente nesta dependência. Várias teorias circulam à volta deste comportamento estranho de Phoenix. Há quem afirme tratar-se de um golpe de marketing muito bem montado pelo próprio actor e que mais cedo ou mais tarde, irá regressar ao grande ecrã. Há quem sustente que o actor está com uma grave depressão e psicologicamente alterado. Na verdade, quem o vê no estado actual ou o vê na excelente interpretação no filme "Two Lovers", é tentado a considerar que não se trata da mesma pessoa.
A "bomba" explodiu em Fevereiro no célebre programa da CBS, "Late Show", com o intrépido jornalista David Letterman, no qual o actor foi entrevistado. Nesta entrevista, Joaquin Phoenix surgiu completamente alienado, com atitudes de total alheamento e desinteresse, não respondeu às perguntas de Letterman, esqueceu-se do nome da actriz Gwyneth Paltrow com quem contracenou, colou uma pastilha debaixo da mesa do entrevistador, disse que não sabia porque se retira da carreira no cinema e que vai enveredar pela carreira de músico hip-hop (rapper). Joaquin Phoenix, que até cantou no filme "Walk The Line", quer seguir uma carreira de rapper, aparentemente, não muito promissora.
A entrevista a David Letterman foi realmente embaraçosa e bizarra, levantando legítimos rumores sobre o estado mental do actor que, com o novo look e estas estranhas atitudes, pode estar à beira de um sério esgotamento ou simplesmente a pôr em prática uma elaborada farsa (afinal é actor) à maneira de um Andy Kaufman (actor cómico que assumia várias personalidades de forma quase esquizofrénica). É que Phoenix já tinha sido entrevistado em 2005 no mesmo "talk-show" e a atitude foi muito diferente. Pessoalmente, dar-me-ia gozo que tudo isto não passasse de uma encenação intencional e que daqui a algum tempo (anos?) o próprio actor desmascarasse o embuste. Seria uma prova do grande actor que Phoenix é.
A verdade de todo este enigma poderá vir ao de cima quando estrear o documentário que o actor-realizador Casey Affleck está a fazer sobre Joaquin Phoenix. Aguardemos, portanto.

PS - O comediante Ben Stiller gozou com Joaquin Phoenix aquando da última cerimónia dos Óscares.

3 comentários:

Fifeco disse...

É realmente incompreensível. E o primeiro pensamento que surgiu foi mesmo o paralelismo com Andy Kaufman. Apesar de tudo tenho dúvidas. Parece-me que perdeu a cabeça. Esperemos que não. A sua não vitória nos Oscars de há uns anos a propósito de Walk the Line foi uma injustiça tremenda.

sem-se-ver disse...

ja conhecia, há bastante tempo.

o que me repugnou foi a atitude do entrevistador e a do público.

aliás, penso que deixei um comentário semelhante no blog, que não recordo qual, onde vi isto pela primeira vez.

Dora disse...

Este gajo diz que vai ser cantor e depois faz o "Two Lovers" (já sei que sou a única que não gostou do filme)...

Gosto dele mas nunca o achei nada por aí além. Falta-lhe carisma.