segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Cristo redentor

6 comentários:

rui g disse...

Uma imagem magnífica de um filme sublime.

Anónimo disse...

acho que devias tirar o "Poderá também gostar de:". É só poluição visual, dá um ar estranhamente impessoal ao blog.

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Por acaso pensei o mesmo há pouco tempo! Coloquei este "widget" apenas como experiência. Seria interessante e útil que remetesse para posts realmente relacionados com o post principal (neste caso, para outros do Dreyer). Mas só confunde. Vou mesmo retirar.
(Obrigado pela sugestão)

Flávio Gonçalves disse...

A mim, por acaso, até me convém porque vou conhecendo outras publicações.

(Mudei-me recentemente do Flavio's World para um recém-criado blog: O Sétimo Continente - http://www.osetimocontinente.blogspot.com . Conto com a tua presença lá! ;)

Álvaro Martins disse...

Magnífica obra-prima de um dos mais brilhantes cineastas de sempre. Ordet é belo, muito belo.

Carlos Pires disse...

O filme é maravilhoso, mas para que a maravilha não fosse só estética e também intelectual a ambiguidade em relação à ocorrência ou não do milagre devia ser menor. O filme concede demasiado à possibilidade de ter havido milagre.
Nisso Bergman é muito melhor e não deixava muitas dúvidas acerca da ilusão que a religião é, sem deixar de explorar as questões éticas e metafísicas associadas. Por exemplo: Em "A busca da verdade" aquele indivíduo doente e à beira da morte convence-se de que está a ter uma experiência mística e, afinal, era apenas um helicóptero.