quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

O cinema "franchising"

É o cinema-pipoca por encomenda para divertimento popular segundo fórmulas de sucesso garantido: era inevitável que "Actividade Paranormal" tivesse uma sequela, dado o tremendo sucesso comercial que obteve - custou uns míseros 15 mil dólares e arrecadou 150 milhões das bilheteiras. Segundo uma notícia veiculada pelo Hollywood Reporter, os estúdios Paramount contrataram o realizador Kevin Greutert para dirigir esta sequela. E quem é este Greutert? Ora, pelos vistos um tarefeiro de Hollywood especializado em sequelas, já que o seu último trabalho foi realizar o "franchising" "Saw VI". Já estou a imaginar, daqui a uns tempos, a estreia de um "Actividade Paranormal III, IV, V, VI..."

3 comentários:

O Projeccionista disse...

É verdade. É como se diz por aí que James Cameron sempre pensou em Avatar como uma trilogia. Onde é que eu já ouvi esta conversa? Mas a verdade é que o final do filme está mesmo a pedir sequela.

Nekas disse...

Existe filmes que com 1 filme bastava!
Existe filmes que com 1 filme tornam-se pérolas cinematográficas!
Existe filmes que depois de sequelas tornam-se lixo cinematográfico!

Abraço
http://nekascw.blogspot.com/

Tiago de la Rocha disse...

Pessoalmente sou contra sequelas, salvo raras excepções. Mas pior ainda são estas, por encomenda.