quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Haneke, Tarkovski, Dreyer, Bergman


O jornalista Rui Pedro Tendinha entrevistou para a revista Premiere o realizador Michael Haneke, autor de "O Laço Branco". Questionado sobre se este filme era uma espécie de "carta de amor" ao realizador russo Andrei Tarkovski, o cineasta austríaco respondeu desta forma: "Fico muito linsonjeado quando vejo os crítico dizer isto de "O Laço Branco". Tarkovski é um dos meus cineastas preferidos. Há também quem tenha comparado com Bergman, outro cineasta que amo, mas a verdade é que quando estou a filmar não me oriento neste sentido. Houve quem tivesse falado em Dreyer, mas aqui discordo. O meu preto e branco é inteiramente novo, é um preto e branco real em oposição ao preto e branco artifical e teatral de Dreyer".

4 comentários:

::Andre:: disse...

Felizmente estreia para a semana. Amén.

::Andre:: disse...

A Premiere tá porreira ou continua igual? Andava meio desiludido com a falta de conteúdo e deixei de comprar no dia em que dedicaram umas seis páginas à merda da sequela do Twilight ignorando o artigo sobre realizadores que até então tinha sido habitual.

Neuroticon disse...

É bem verdade! Também não percebi! Espero mesmo muito deste filme e com as referências a Tarkovsky e Bergman, os meus dois preferidos fico ainda com mais expectativas!!!

silvestre disse...

Estou muito curioso pelo filme, porque gosto da obra do Haneke. A comparação ao Bergman é que deixa a pensar. Nunca consegui digerir muito bem os tempos de acção nos filmes do último. Mas será Haneke sem dúvida.