quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Estoril Film Festival


Abre hoje o terceiro Estoril Film Festival. Estive a ver com atenção o site oficial e trata-se, efectivamente, de um evento de grande qualidade e interesse. É impressionante como em apenas três edições, os organizadores conseguiram projectar este festival internacionalmente, ao ponto de conseguir mobilizar figuras mundiais do cinema como Pedro Almodóvar, David Lynch, Bernardo Bertolucci (estes três na edição do ano transacto), David Cronenberg, Francis Ford Coppola, Juliette Binoche, David Byrne, Peter Handke, Sasha Grey, Dominique de Villepin, Emanuel Ungaro, Victor Erice, Robert Frank ou Jacques Audiard. Para além dos convidados de luxo, o programa do festival conta ainda com um interessante cardápio de eventos que se estende até dia 14 de Novembro: exposições, workshops, conferências, debates, retrospectivas (cineastas "raros", Max Ophuls, David Fincher, guerra civi espanhola), entre outras actividades que enriquecem o festival.
Claro que um considerável orçamento de 3,5 milhões de euros pode ajudar no lançamento de um festival deste género, mas não explica tudo. Os contactos privilegiados no mundo do cinema do produtor e director do festival, Paulo Branco, também contribuem para a crescente valorização ano após ano. A ambição de Paulo Branco é que o Estoril Film Festival se torne num grande festival de cinema à escala europeia, para vir a competir um dia com Veneza, Berlim ou até Cannes. A ver vamos.

4 comentários:

LN disse...

É sim, bem interessante. Além das personagens que por lá vão estar, primeiro estao os filmes. Muito e bom. O vencedor da Palma; Un Prophete; o novo do Wes Anderson, do Soderbergh, do Von Trier; Fernando Lopes, detaque ao cinema romeno... O outro grande festival, Cinanima, é já a partir de dia 9, em Espinho. Mas o Estoril é de uma força rara e tem estrutura para um dia estar, quem sabe, entre os Leões da europa.

analima disse...

Eu não comprei o passe e agora os bilhetes estão a desaparecer a uma velocidade tal...

Rui Resende disse...

por outro lado há uma mística nos festivais de veneza e berlim e cannes que não pode ser inventada no do estoril. repara, estou entusiasmado com o evento embora infelizmente não possa assistir, e espero que cresça bem e ganhe importância. Mas os 3 festivais europeus apareceram há muitos anos, não pela força do investimento mas pela força da cinefilia. o estoril vai precisar de bastante tempo para ganhar o seu lugar, digo eu.

já agora, eu prefiro eventos como o cinanima ou o fantasporto, porque mostram o que não conhecemos. o que mais aprecio nos festivais é sentar-me para ver as propostas dos organizadores, sobretudo se forem coisas que não conheço. Repara por exemplo como o fantasporto mostrou quando ainda não eram conhecidos pessoas como o Cronenberg, de Palma, Lynch, Bigas Luna, Besson, os Coen, o Von Trier, o Almodóvar, o Jackson, o Danny Boyle, o del Toro, o Minghella, o Thomas Anderson, os Wachowsky, e uma quantidade enorme deles. A maioria deles quando lá apareceram ou não eram conhecidos de todo ou estavam apenas a começar a aparecer. essa é a magia dos festivais para mim, poder sentar-me a ver uma proposta obscura, e acabar por estar a ver o Blade Runner!!

Victor Afonso disse...

Rui: compreendo e concordo com o que dizes. Claro que para o festival do Estoril se comparar com o de Cannes ou Veneza tem de crescer muito mais e esperar anos. O que quis realçar é que o festival tem qualidades e projecção internacional conseguida em apenas 3 edições, E esse mérito ninguém retira ao Paulo Branco (por mais antipatia que motive no meio cinéfilo português, que eu sei que motiva).