segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Momentos e Imagens - 46

Dia 1 de Maio de 1941, Nova Iorque. Estreia do filme que iria mudar para sempre o cinema: "Citizen Kane", de um jovem realizador com apenas 26 anos, Orson Welles, de seu nome. A primeira fotografia é extraordinária pelo feliz enquadramento do instante captado pela objectiva do fotógrafo: Welles sai do táxi, cigarrilha na boca, mesmo em frente ao cinema Palace que, em segundo plano, revela em néon brilhante o seu nome e o da sua primeira obra-prima. Esta terá sido, certamente, uma das estreias mais importantes de toda a história da Sétima Arte.

8 comentários:

silvestre disse...

belíssimo filme.

ArmPauloFerreira disse...

Um grande filme, que tenho em DVD e de longe a longe ainda o mete no leitor.

Nekas disse...

Foi um marco histórico tanto o filme como a personagem de Orson Welles na cultura cinematográfica...

Abraço
http://nekascw.blogspot.com/

Victor Afonso disse...

"Rosebud..."

António disse...

que resta a alguém que realiza "citizen kane" com 20 e poucos anos? suicida-se? faz filmes maravilhosos comercialmente desastrosos? vê o mundo "eraserhead" com os olhos de henry spencer? os três?

Victor Afonso disse...

António: como sabe, Welles fez outros grandes filmes depois de "Citizen Kane". Alguns até se poderão encaixar numa das classificações que adiantou.
Aliás, pode parecer estranho, mas eu gosto mais da obra negra "A Sede do Mal" do que de Kane.

António disse...

é curioso porque "a touch of evil" fascina-me particularmente, mas sempre achei que tem a ver sobretudo com o facto de estudar Direito - independentemente das qualidades óbvias do filme. Infelizmente, parece-me que caiu um pouco no esquecimento - um daqueles filmes de que se fala muito por causa de uma cena (a de abertura) mas poucos vêem. Talvez (e assim o espero) seja uma impressão errada.
O problema de "Kane", ou de Welles com "Kane", é ter visto o filme fadado com o título de "melhor de todos os tempos". A partir dai a vida só poderia ficar difícil, ao contrário do que se poderia pensar e os falhanços comerciais das obras-primas que realizou em seguida provaram-no. Um monstro na obra e no seu fado.

Victor Afonso disse...

Sim, o "Touch of Evil" é mais citado por causa do plano sequência inicial do que pelo filme propriamente dito.

Sobre esta obra de Welles, falei aqui -http://ohomemquesabiademasiado.blogspot.com/search?q=a+sede+do+mal