quarta-feira, 13 de maio de 2009

Baixar a cabeça e seguir em frente


Ontem fui ao funeral do pai de um grande amigo de há muitos anos. Um momento de grande desgosto, como o são todos os funerais. À noite, para retemperar energias e esquecer o dia triste, li passagens do último livro do Pedro Mexia. Numa determinada página, Mexia cita o escritor Martin Amis que uma vez disse que é preciso reagirmos ao desgosto como reagimos a chuva - "baixamos a cabeça e seguimos em frente".
Meu caro amigo: eu sei que tens força para seguires em frente, mas a seu tempo irás fazer esse percurso com a cabeça levantada, faça ou não chuva!

2 comentários:

Teresa Queiroz disse...

erguemos a cabeça e seguimos em frente ! :)

Anónimo disse...

Meu caro amigo, abaixar a cabeça é mais do que humilhar ou se diminuir. Tal ato pode significar um ato de conformidade, respeito ao outro, sendo ele morto oo não, como o cumprimento antigo em epoca de reis em que as pessoas se curvavam.Lembro me do desenho de Star War quando Anakin vençe a batalha e a senadora pergunta por que estava triste, era para ele comemorar pelas pessoas que estam vivas pelos tantos que salvou, ele disse que se entristese pelos que não se salvaram, pelos que morreram, que o feito de quem vence não diminui, nem esquece, o feito dos que lutaram. O simples respeito, o silencio que enobrece, faz agente refletir e lembrar do os que se foram fizeram. Se levantar a cabeça quando a chuva cai, voce embaça sua visão do que virá, pois não terá analisado o feito dos que partiram, não lhe serviu o que deixaram. Terá esquecido a memoria do que a existencia dos que não estão mais aqui serviu.
O Navegante Medeiros.