quinta-feira, 14 de maio de 2009

Tati em retrospectiva e a polémica


Quem for de férias a Paris até dia 2 de agosto, terá uma boa oportunidade para visitar a Cinemateca da capital francesa. Aí decorre uma extensa retrospectiva do genial realizador Jacques Tati. A retrospectiva, intitulada "Deux Temps, Trois Mouvements", teve iníco no dia 8 de Abril e conta com exibição da filmografia integral (cópias restauradas) de um dos mais modernos e inovadores cineastas, conferências, concertos, exposições, etc. Uma excelente forma de celebrar a arte de Tati e dá-la a conhecer às novas gerações. Mais informação aqui.
Entretanto, a propósito ainda de Jacques Tati, a administração do metro de Paris substituiu o famoso cachimbo do personagem Monsieur Hulot por um catavento (imagem em baixo). A imagem modificada está nos cartazes que anunciam a exposição dedicada, precisamente, a Tati, na Cinemateca. A mudança na fotografia deve-se à Lei Evin, que, há 18 anos, proíbe, em França, a publicidade directa ou indirecta de álcool e tabaco. A polémica estalou e o presidente da Cinemateca, o realizador Costa Gavras, veio a público classificar como "ridículo e absurdo" esta adulteração do cartaz original, numa medida claramente fundamentalista e que deturpa a identidade artística da personagem criada por Tati.

6 comentários:

Hugo disse...

É uma vergonha, mas nunca assisti a um filme de Jacques Tati.

Abraço

Victor Afonso disse...

Nunca é demasiado tarde para conhecer!

KIm PrIsu disse...

grande cineasta, vi os todos quando vivia na França, e agora vou a biblioteca que me os empresta para os ver com a minha filha, nem é preciso saber o francês, porque muito visual... mas não se pode fazer isso as imagens lava-las de tudo o que hoje é dito incorrecto, isso é hipocrisia... deixem o senhor Hulot fumar o seu cachimbo.
bom dia a Guarda

Álvaro Martins disse...

Grande Tati.

rui g disse...

«A mudança na fotografia deve-se à Lei Evin»

Com as leis que criam, procuram contrular tudo e depois nem têm a noção do ridículo. "Perdoai-lhes, Senhor"...

rui g disse...

«contrular»

controlar, claro.