quinta-feira, 24 de setembro de 2009

O xadrez de Bergman


Trezentos e trinta e nove objectos que pertenceram a Ingmar Bergman vão a leilão, cumprindo a vontade do cineasta sueco expressa no seu testamento para evitar zangas na divisão da herança pela sua numerosa família (oito filhos). O leilão realiza-se no dia 28 de Setembro em Estocolmo. Móveis (escrivaninha onde escreveu os seus argumentos), quadros, prémios de cinema e de teatro (um globo de ouro), bibelots, as peças de xadrez usadas no filme “O Sétimo Selo” e louça fazem parte dos objectos colocados agora em leilão pela família do realizador de Cenas da Vida Conjugal.
In Público.
Se pudesse escolher apenas um destes objectos, escolheria claramente as peças de xadrez usadas no filme “O Sétimo Selo”. Jogar num tabuleiro de xadrez no qual jogou a temível Morte deve ser deveras excitante.

6 comentários:

Carlos Lopes disse...

Que belíssimo blog!!! Ganhei o dia. Vai já direito para a barra de favoritos do meu blog!!! Voltarei e voltarei e voltarei...

Ana Pena disse...

Sem dúvida que deve ser do "outro mundo" tocar nesse tabuleiro :) mas quer dizer, agora tentando uma metáfora forçada ;)...não jogamos já todos os dias nele?

Sérgio Currais disse...

Epá, se esse for muito caro, sempre podes comprar o que aparece nesta versão mais de trazer por casa:

http://video.google.com/videoplay?docid=-2836769003949048362#

Ana Pena disse...

Desculpa estar a responder aqui! Mas eu também vi exactamente essa exposição retrospectiva do Juan Muñoz no Reina Sofía! Tinha estado antes em Serralves e tinha pena de não a ter conseguido apanhar cá. Num fds em Madrid foi um óptima surpresa descobri-la lá! Maravilhoso mesmo!!:D

http://li-ber-ty.blogspot.com/2009/07/la-movida-madrilena.html

Carlos Lopes disse...

Caro amigo: obrigado pela visita. Para além de ter gostado do nome do blog, espero que passe por lá de quando em vez. Um abraço.

Neuroticon disse...

O maior génio de sempre! O homem que para mim se tornou uma referencia e influencia!
Se nao fosse tao teso aventurava-me numa cena dessas...
Bergman é DEUS.