terça-feira, 22 de setembro de 2009

Fotografia como metáfora visual

Voltei a Chema Madoz.
Em Janeiro deste ano, neste post, dei conta da minha descoberta deste esplêndido fotógrafo espanhol. Um fotógrafo de uma sensibilidade visual tão surpreendente quanto desarmante. A criatividade e imaginação de Chema Madoz desafiam o olhar do espectador, que procura dar um sentido (conceptual, não propriamente estético) às imagens paradoxais do fotógrafo. Madoz herda a tradição de Man Ray e Marcel Duchamp e transforma objectos do quotidiano em objectos artísticos. Subverte o contexto e o significado dos mesmos com subtis e simples alterações visuais, em fotografias a preto e branco de notável beleza plástica. Entretano, foi publicada uma monografia completa dos trabalhos do autor, desde os anos 80 até 2008.
Visitei o site do premiado fotógrafo e descobri (novas) pequenas obras primas:






2 comentários:

Francisco Maia disse...

Adoro este tipo de arte. Marcel Duchamp é sem dúvida o meu artista preferido de sempre. Devem haver bons dípticos entre estes senhores referidos e os da street art (Banksy e aliados...)

Clara disse...

Excelente fotógrafo que possui a sensibilidade para a simplicidade de pequenos pormenores. Gostei!



Victor, muito obrigada pela sua visita e pelo comentário. Também aprecio muito a pintura de Souza-Cardoso. É diferente de Eloy, mas ambos são dois grandes pintores portugueses.

Beijinho