quinta-feira, 11 de junho de 2009

29 revistas de música!


Basta uma ida a Espanha para constatar a diferença abissal no que concerne ao mundo das publicações jornalísticas, sobretudo ao nível das revistas. Entra-se numa loja especializada e deparamo-nos com uma parede extensa repleta de centenas de títulos diferentes. Um singelo exemplo: enquanto que em Portugal existem duas revistas dedicadas à música (Blitz, Jazz.pt e pouco mais), em Espanha contei, exactamente, 29 revistas espanholas diferentes sobre música: desde heavy-metal a música clássica, desde hip-hop a rock, desde electrónica a soul ou country, sobre instrumentos musicais, etc. Ou seja, imensa variedade para saciar todos os públicos, todos os interesses. Depois há que contar ainda com a venda de revistas importadas - Mojo, Uncut, The Wire, etc.
Revistas de cinema editadas mensalmente por "nuestros hermanos" correspondem a mais de dez títulos - incluindo uma importantíssima edição espanhola dos "Cahiers du Cinéma". Já para não falar de muitos outros temas onde a diversidade de propostas jornalísticas abundam. Não sei se esta quantidade de oferta de revistas não representa um mercado exagerado para o país que é (julgo que não), mas é um claro sinal de vitalidade cultural constatar esta pujança editorial com qualidade e diversidade temática.

9 comentários:

hg disse...

O mercado em Portugal é demasiado pequeno. Eu até acho que, para a quantidade de leitores existentes, Portugal já tem revistas a mais.
Mas percebo bem o que dizes. E quando vou a Espanha venho sempre carregado de revistas. (há uns anos atrás, talvez pela proximidade da fronteira, ainda era possível encontrar algumas revistas espanholas de música e cinema na Guarda e Covilhã... não sei como será agora).
Mas vão surgindo em Portugal algumas revistas com qualidade (Op, Umbigo) e para quem viva em Lisboa pode ter a sorte de apanhar algumas free-magazines de bastante qualidade tipo Dif.
p.s: que será feito da Mondo Bizarre? Acabou?!

Tracey disse...

Acho que em Portugal até há mercado para mais revistas, mas são pequenos nichos em que as editoras não querem apostar, porque as vendas não seriam muito significativas...

My One Thousand Movies disse...

E por falar em "Blitz", desde que passou a revista nunca mais foi a mesma quando era jornal semanal...

Victor Afonso disse...

Sim, a Op e a Dif são exemplos de boas revistas, mas não exclusivas sobre música. E sim, a Mondo Bizarre (da qual eu fui colaborador) acabou há um ano ou mais.

Francisco Maia disse...

Pera que há outras revistas, a Loud por exemplo. (nem sei se ainda existe)

A grande questão é que a única revista que li sobre música quando estive em espanha a ultima vez era fenomenal. Arrasava por completo a pretensão da Blitz por exemplo.

por mim, não preciso de quantidade. Bastava-me uma muito boa

Filipe Machado disse...

É sem dúvida uma miséria a diversidade de revistas especializadas em música e cinema no nosso país. No entanto, concordo que o mercado seja muito mais pequeno do que o espanhol. A única forma de ultrapassar esta questão é ler revistas estrangeiras, o que não propriamente mau, pelo contrário ;)

Participa na sondagem "Melhor James Bond com Peter Sellers, George Lazenby, Timothy Dalton e Daniel Craig” até ao dia 15 de Julho 2009, em http://additionalcamera.blogspot.com.

Ivo disse...

É o problema de vivermos num pais pequeno. Aqui nunca vai haver mercado para 29 revistas de música.
Existe a Blitz e já não é mau. :P

Temos que nos sujeitar a revistas estrangeiras se queremos mais informação.

Abraço!

lisabel disse...

A Loud ainda existe... e também a Arte Sonora...

Sónia Felizardo disse...

Embora em Portugal não haja grandes revistas de música existem vários sites e páginas de faceboook. Um exemplo no facebook é a Sociedade Portuguesa de Hipsters, que está sempre atualizada no mundo da música!
https://www.facebook.com/sociedadeph