quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

O livro de Jack Torrance



No genial filme “The Shining” do genial Stanley Kubrick, a loucura apodera-se de Jack Torrance (Jack Nicholson) enquanto tenta arranjar inspiração para escrever o seu livro no isolado Overlook Hotel. O estado mental de Torrance sofre alucinações progressivas e a espiral de violência psicológica adensa-se perigosamente junto do resto da família. Numa determinada sequência do filme, a mulher de Jack Torrance, Wendy (Shelley Duvall), descobre, horrorizada, que o marido tinha passado dias a escrever, obsessivamente, a mesma frase na máquina de escrever: “All Work and no Play Makes Jack a Dull Boy” (tradução livre – “muito trabalho e pouco divertimento torna Jack um rapaz deprimido”). Começa nesta cena, aparentemente banal e inconsequente, a descida aos infernos encenada por Kubrick de forma absolutamente terrorífica.
Jack Torrance escreveu dezenas de páginas com a mesma frase, apenas disposta na folha branca de formas diferentes, jogando com o efeito visual das palavras. O filme de Kubrick foi baseado no livro de Stephen King, e nesta obra do mestre do terror contemporâneo, a personagem de Jack Torrance nunca concluiu o livro. Por isso, um jovem artista e escritor inglês, chamado Phil Buehler, fã de King e de Kubrick, resolveu assumir o papel de Jack Torrance e “escrever” o livro que o personagem do livro e do filme nunca editou. Ou seja, Phil Buehler escreveu um livro com 80 páginas inspirando-se no que Jack Torrance fazia no filme: apenas com a frase "All Work and No Play Makes Jack a Dull Boy", Buehler contruiu múltiplas formas visuais (geométricas, abstractas...), como se incarnasse o verdadeiro espírito atormentado de Torrance. Neste link pode-se ver as primeiras 15 páginas do livro (as páginas são visionadas carregando com o rato). Resumindo: um livro real de um escritor de ficção.

7 comentários:

Unknown disse...

Desconhecia por completo esta notícia mas parece-me muito interessante, ou pelo menos diferente.

Mas acaba por ser uma excelente homenagem a uma excelente obra prima.

::Andre:: disse...

Isso, bela homenagem e boa prenda para um fã do filme. É livro para custar quanto?

Unknown disse...

Edição Softcover - $8.95
Edição Hardcover - $22.95

Ana Cristina Leonardo disse...

é o meu filme de terror preferido. a notícia é curiosa, vou espreitar

Pedrita disse...

eu vi o iluminado no ano passado e é maravilhoso. comprei um livro do stephen king, zona morta, mas ainda não li. aqui passamos agora a ter calor. andou frio para verão por aqui. beijos, pedrita

Anónimo disse...

Devo dizer que como um leitor de Stephen King eu raramente gosto de algum filme baseado em sua Obra. O problema é que nunca consigo separar a obra do autor com a ' modificação para cinema '. Entretanto O iluminado - obra magnífica da literatura - foi muito bem produzido e dirigido. Eu fui assistir o filme somente hoje. Além da história, da brilhante atuação de Jack Nicholson - devo acrescentar que chega a ser hilário as caras de psicopata dele - o contraste da coloração dos corredores foi de chamar a atenção. Foi tudo muito bem feito, e passo a votar como o melhor filme do gênero. Engraçado como os tempos vão passando e o passado parece melhor representar as grandes obras, como se o tempo tivesse parado. Bom, tirando meu comentário sobre o filme, eu achei extremamente interessante a ideia de Phil Buehler. Alguém sabe se há alguma loja no Brasil que vende esse livro?

Pastor Thiago (Discípulo do Mestre) disse...

existe algum filme semelhante a este no sentido de um indivíduo escrever uma história todos os dias em uma maquina de datilografia. eu o assistir e quero muito assistir de novo mas não sei o nome